Senacon quer explicações do Uber sobre ausência de informação ao consumidor


O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor, órgão da Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacon), quer explicações da empresa Uber do Brasil, sobre a suposta ausência de informação para os consumidores com relação às corridas dinâmicas e às cobranças automáticas devido ao cancelamento.

A secretaria também questiona o aplicativo quanto à impossibilidade de defesa, pelo consumidor, no momento da corrida, obrigando-o ao pagamento; bem como pela demora e atrasos no atendimento, em aparente violação às disposições do Código de Defesa do Consumidor.

A Senacon já notificou o aplicativo, que terá 10 dias para fornecer os esclarecimentos. Segundo a secretaria, caso o Uber não responda aos questionamentos no prazo estipulado, poderá instaurar processo administrativo contra a empresa e aplicar multa que pode chegar a mais de R$ 9 milhões.(Com assessoria de imprensa)

 

 

 

 

 

Anterior Cade arquiva processo sobre aumento de capital da Oi
Próximos Sterlite compra fabricante de cabos ópticos e de cobre na Itália