Seminário discute banda larga e educação ambiental


 Como vincular práticas sociais sustentáveis aos projetos de popularização da banda larga? Para refletir sobre a questão e propor caminhos, o Instituto de Educação Superior de Brasília (Iesb) em parceria com o Instituto Observatório das Telecomunicações, Inclusão Digital e Social  – IOST reunirá, no dia 12 de novembro, representantes de peso do meio empresarial e …

 Como vincular práticas sociais sustentáveis aos projetos de popularização da banda larga? Para refletir sobre a questão e propor caminhos, o Instituto de Educação Superior de Brasília (Iesb) em parceria com o Instituto Observatório das Telecomunicações, Inclusão Digital e Social  – IOST reunirá, no dia 12 de novembro, representantes de peso do meio empresarial e político no seminário “Banda larga e inclusão social: 1° encontro para o desenvolvimento humano e sustentável”.  O objetivo é desenvolver estratégias para educação ambiental por meio das novas plataformas tecnológicas, em parcerias com empresas de telecom. Os integrantes participarão da redação de carta de trabalho na área, sob a Cátedra Unesco. Os debates poderão ser acessados, em tempo real pelo site do Iesb (www.iesb.br).

Entre os debatedores do meio empresarial estão Paulo Cunha, diretor do setor público e educação da Microsoft, Sérgio Ephim Mindlin, presidente da Fundação Telefônica, Walter José Faiad de Moura, diretor secretário geral da BrasilCon, José Fernandes Pauletti, presidente executivo da Associação Brasileira de Concessionárias de Serviço Telefônico Fixo Comutado (Abrafix), Alfredo Ferrari, vice-presidente jurídico e regulatório da Nextel, entre outros

O Estado estará representado por Mauricio Godinho Delgado, ministro do Tribunal Superior do Trabalho, Elisa Leonel Peixoto, assessora da Coordenação de Inclusão Digital da Presidência da República, Márcio Pochmann, presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Luiz Paulo Barreto, secretário executivo do Ministério da Justiça (confira abaixo a programação completa).

A professora doutora Amélia Regina Alves, coordenadora da pós-graduação do Iesb, afirma que o diferencial do evento é o seu caráter prático. A carta de trabalho terá objetivos, metodologia e, no próximo ano, análise dos resultados. “Queremos informar e formar boas práticas sobre as questões ambientais”, conclui. (Fonte: assessoria de imprensa).

 

Anterior Telefônica adia venda de internet popular.
Próximos 20º Encontro Tele.Síntese – Investimento e competição