Semeghini simpatiza com proposta da AEB de criar nova estatal para a base de Âlcantara


O secretário executivo do MCTIC, Julio Semeghini, disse hoje, 19, que o setor aeroespacial é uma área com grande potencial de desenvolvimento e que simpatiza com a proposta da AEB (Agência Espacial Brasileira) de criação de uma nova estatal para cuidar do uso comercial do Centro Espacial de Alcântara, no Maranhão. Proposta nesse sentido é defendida pela Agência Espacial Brasileira (AEB) com base em estudos realizados no ano passado sobre o aproveitamento da base de lançamentos de satélites e foguetes.

A proposta foi defendida pelo presidente da AEB, coronel Carlos Moura, em entrevista ao Tele.Síntese, como um dos próximos passos da política aeroespacial do Brasil, após a aprovação do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) com os Estados Unidos. Pelo acordo, Alcântara pode lançar equipamentos com tecnologia norte-americana.

“A partir do AST, a geração de novos negócios nessa área vai precisar de uma estatal para organizar os contatos com os clientes”, afirmou.

Moura defendeu tratamento diferenciado para a criação da nova estatal, de forma a não ser rejeitada por conta da política de privatizações do governo Jair Bolsonaro.

O ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, está animado com a aprovação do AST. Ele participou de evento sobre o setor aeroespacial que está sendo realizado em São José dos Campos (SP) e viajou para participar de evento internacional do setor promovido nos Estados Unidos.

Anterior Controle de conteúdo não basta para barrar Fake News, afirma especialista
Próximos  Frente Parlamentar pressiona governo com votação de PL da nova Lei de Informática

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *