Sem proponentes, Telebras encerra leilão de capacidade do satélite brasileiro


sgdc-satelite-embarca-korou-guiana

A Telebras tentou, mas não conseguiu, vender nesta terça-feira, 31, a capacidade do satélite geoestacionário de defesa e comunicações (SGDC). O leilão, marcado para as 10h, começou com atraso de quase vinte minutos e foi imediatamente suspenso por mais 15 minutos à espera da chegada de participantes. O que não aconteceu.

Entre os poucos representantes de empresas presentes, nenhum veio à frente para entregar seu envelope com lance inicial. O leilão prevê a cessão à iniciativa privada de dois lotes de capacidade. Em ambos os casos, o comprador deverá cumprir metas de uso de feixes para atender ao plano nacional de banda larga. Quem ficasse com o lote 1, de maior capacidade, também deveria prestar serviço para implementar os serviços satelitais da Telebras baseados no SGDC.

A reticência de companhias que trabalham no mercado de satélite e de operadoras com o leilão não é recente. Houve manifestações críticas à venda dessa capacidade por ser algo que não fazia parte do projeto original do satélite. Também havia dúvidas sobre o edital. Ainda assim, o governo seguiu adiante com o certame, após adiar por duas vezes a data para recebimento dos lances.

Até o momento, a Telebras não informou se realizará o leilão em nova data.

Anterior AGU diz que solução para a Oi pode vir até sem MP
Próximos Designados os novos integrantes do Comitê de Defesa de Usuários da Anatel

2 Comments

  1. Dorival
    31 de outubro de 2017

    Pronto, ficaram de frescura, reclamando que estão “vendendo o satélite”, inventaram um monte de empecilhos, agora fiquem aí com um um inteiro subutilizado. Dinheiro público jogado no lixo.

  2. João Valentão
    31 de outubro de 2017

    “Se colocarem o governo federal para administrar o deserto do Saara, em cinco anos faltará areia” Milton Friedman