Sem acordo com Eletrobras e Petrobras, Santanna já admite novo atraso no PNBL.


O presidente da Telebrás, Rogério Santanna, disse que as negociações para concluir os convênios com a Eletrobras e Petrobras para o uso das fibras ópticas já estão adiantadas e assinatura deles deve ocorrer no máximo em duas semanas. Mas reconheceu que a demora já representa nove dias de atraso no início da implantação do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) em abril, que este ano atenderá 1.163 cidades.

Santanna disse que já foram fechadas as metodologias de cálculo do preço máximo de referência a ser cobrado e ainda falta negociar cada trecho das fibras, que estão em situação diferente em relação a condições de uso. O presidente da estatal  disse que os acordos estão sendo negociados separadamente já que a Eletrobras e Petrobras têm regulação distintas. A previsão inicial era de que os convênios fossem assinados no final do mês passado.

Rede IP

Nesta quarta-feira (9), o presidente da Telebrás assinou o contrato com o presidente da Mediata, João Lara, empresa vencedora do pregão para compra da solução Core de rede IP que comporá o núcleo do backbone da rede  de telecomunicações pública.  Essa primeira encomenda corresponde a  compra de 66 roteadores, sendo oito deles do modelo CRS 3, cada um com capacidade para baixar um bilhão de vídeos simultaneamente.

Os equipamentos, da Cisco, terão que ser entregues em 45 dias e vão custar R$ 24,3 milhões . São suficientes para atender a meta deste ano, mas a Telebrás ainda poderá contratar novos roteadores, já que a licitação vencida previa equipamentos no valor de R$ 60,5 milhões. “Para isso, será preciso recompor o orçamento “, adiantou Santanna.  A previsão inicial de investimentos da Telebrás em 2011 era de R$ 1 bilhão, mas seu orçamento aprovado ficou em R$ 526 milhões.

Anterior Telefônica, Sercomtel e Oi, prestes a acertar os números da universalização.
Próximos Anatel publica preço de renovação de outorga de TV a cabo