Se for convidado, Costa fica mais dois anos no Minicom.


O ministro das Comunicações, Hélio Costa, disse hoje, 3 de janeiro, que se o presidente Lula der a ele a prerrogativa de escolher entre ficar ou sair do ministério irá optar por permanecer no cargo, mas não pelos próximos quatro anos. Costa gostaria de ficar entre um ano e meio e dois anos, no máximo. …

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, disse hoje, 3 de janeiro, que se o presidente Lula der a ele a prerrogativa de escolher entre ficar ou sair do ministério irá optar por permanecer no cargo, mas não pelos próximos quatro anos. Costa gostaria de ficar entre um ano e meio e dois anos, no máximo.

“Esse prazo seria suficiente para completar os projetos em andamento no Minicom e ainda daria tempo para que eu pudesse estar liberado para cuidar da minha recondução ao Senado ou de uma eventual campanha para o governo do Estado de Minas Gerais”, comentou o ministro.

Mas Costa frisou que ainda não há uma decisão do presidente Lula sobre quem comandará a pasta das Comunicações, assim como não houve nenhum convite para que ele permaneça no cargo.

“Considero minha posição muito confortável. Cumpri minha missão. Fizemos um importante trabalho com a TV digital e preparamos o caminho para o rádio digital. Considero este ano o ano do rádio digital. E os recursos do Fust (Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações) deverão ser usados em larga escala em 2007 com oito projetos que iremos propor. Por outro lado, também gosto muito de ser senador”, disse Costa.

De acordo com o ministro, Lula só decidirá a reforma ministerial no início de fevereiro, quando as disputas pelas presidências da Câmara e do Senado estiverem definidas. Na avaliação de Costa, o PMDB, partido ao qual pertence, “está bem posicionado” nas negociações com a Casa Civil para a composição do governo.

Para o ministro, a reeleição do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) para a presidência do Senado “está tranqüila”. Com relação à eleição para a Câmara, o PMDB aguarda um sinal de Lula. “Estamos esperando que o presidente nos indique qual dos candidatos tem o seu apoio para que possamos ajudar”, completou Costa.

No novo governo, o PMDB deverá ficar com os ministérios das Comunicações, Saúde e Minas e Energia. Uma quarta pasta também deverá ser entregue ao partido, mas ainda não há definições de qual seria. O governo já acenou com a Previdência Social, mas o PMDB resiste por considerar ser um ministério que traz muito desgaste político.

Férias

Enquanto as confabulações políticas prosseguem em Brasília, Costa vai tirar 15 de férias. Embarca dia 7 para os Estados Unidos, onde além de descansar irá participar de um evento do setor de telecomunicações e se encontrará com diretores dos correios daquele país.

No dia 9, o ministro participa do Consummer Eletronics Show, que acontece em Las Vegas e é a maior feira de produtos eletrônicos dos Estados Unidos, com a participação de grandes fabricantes como Motorola e Intel. E no dia 16 ele vai a Washington para discutir uma parceria com os correios dos Estados Unidos.

Anterior Sonaecom reafirma interesse na Portugal Telecom Multimedia
Próximos Compra da PT pela Sonaecom pode ser concluída em março