Satélite Star One C4 da Embratel já está em órbita


O novo satélite integrará a terceira geração da Star One (denominada série C). A empresa confirma que está a menos de um ano da conclusão do Star One D1, que iniciará a quarta geração de satélites da empresa, a família D, equipada com a Banda Ka. O lançamento está previsto para meados de 2016.

A Embratel Star One anuncia o lançamento bem-sucedido do satélite Star One C4 a partir da base de Kourou, localizada na Guiana Francesa. A empresa ampliará sua cobertura nas Américas do Sul e Central. O novo satélite integrará a terceira geração da Star One (denominada série C), junto com os satélites C1, C2, C12 e C3, e permitirá a oferta de novas soluções para clientes da região.

“Com esse importante lançamento, reforçamos a liderança absoluta no mercado brasileiro e nosso posicionamento como o maior operador regional de satélites da América Latina”, afirma José Formoso, Presidente da Embratel, destacando que a empresa também está comemorando o marco de 30 anos do lançamento do primeiro satélite brasileiro ao espaço, o Brasilsat A1, em 1985.

“Estamos na liderança do mercado desde a primeira comunicação via satélite no Brasil”, diz Gustavo Silbert, Presidente da Embratel Star One. O executivo reforça que a empresa continuará investindo fortemente para a expansão de sua frota, inclusive com novo lançamento previsto já para 2016.

O Star One C4 usará a Banda Ku para permitir a expansão dos serviços de DTH (Direct to Home) da Claro HDTV no Brasil e na América Central alcançando milhares de novos assinantes.  O novo satélite ocupará a posição orbital de 70ºW, a mais importante para o mercado de Broadcasts no Brasil. É considerada uma ‘hot position’ por transmitir os sinais das maiores emissoras de televisão do País e por possuir um parque de 22 a 25 milhões de antenas parabólicas que apontam para esta posição. O novo Star One C4 foi construído pela empresa canadense-americana Space Systems Loral e foi lançado ao espaço por um foguete da empresa francesa Arianespace.

 

O investimento no novo satélite ampliará também a capacidade de transmissão de conteúdo de vídeo. “Possuímos vasta experiência na oferta de soluções de Telecomunicações para grandes eventos esportivos nacionais e internacionais. Viabilizamos a transmissão da primeira Copa do Mundo no Brasil, em cores em 1970, transmitimos importantes competições como Jogos Olímpicos, Panamericanos, Copas do Mundo, Fórmula 1, Rio Open, entre outros”, afirma Gustavo Silbert.

De olho nos Jogos Olímpicos Rio 2016, a empresa confirma que está a menos de um ano da conclusão do Star One D1, que iniciará a quarta geração de satélites da empresa, a família D, equipada com a Banda Ka. O lançamento está previsto para meados de 2016.

 

Anterior STF deve analisar eleição do Conselho de Comunicação Social após o recesso
Próximos Comissão Europeia abre dois processos antitrust contra a Qualcomm