O ministro da Ciência e Tecnologia, Marco Antônio Raupp, aproveitou o encontro dos Brics em Nova Délhi, na Índia, para anunciar o lançamento de um satélite geoestacionário de comunicações estratégicas. Com ele será possível levar banda larga a todos os municípios brasileiros. O satélite, da Telebras e da Embraer, vai custar R$ 750 milhões, incluindo construção e lançamento.

No próximo mês o governo vai anunciar uma licitação internacional: Raupp está convidando a Índia, que já lançou 70 satélites e tem experiência neste campo, a entrar na disputa internacional pelo projeto. O ministro disse que vê boas oportunidades para ela fornecer subsistemas deste satélite. “Tem uma possibilidade de cooperação tecnológica e empresarial importante com a Índia”, explica.

Brasil, Índia e África do Sul, segundo o ministro, também estão discutindo a possibilidade de produzir e lançar conjuntamente um satélite científico para observação do clima no Atlântico Sul. Com a China, o Brasil vai lançar um satélite este ano e outro em 2014. Desde os anos de 1980 os dois países cooperam na área espacial, construindo satélites juntos. Já foram lançados conjuntamente  quatro aparelhosao espaço.

Além disso, Índia e Brasil vão realizar um intercâmbio de estudantes e cientistas, prioritariamente para os campos de tecnologia da informação, biotecnologia, nanotecnologia e saúde, sobretudo no que toca à cooperação para o combate ao vírus HIV, dengue, malária e tuberculose, além de fármacos. O governo, com o programa Ciência sem Fronteiras, reconhece que o Brasil sofre com falta de mão de obra especializada.

(Fonte: Agências internacionais)