Sardenberg pensa em processar procurador da República


"Repilo as afirmações. Estou inconformado", reagiu o presidente da Anatel, Ronaldo Sardenberg, às manifestações do procurador da República na Paraíba, Duciran Farena, feitas durante o fórum da Pro Teste, e divulgadas pelo MP, que acusou o embaixador de ter feito a Anatel "retroceder 10 anos em termos de acessibilidade e transparência". Sardenberg ainda estuda quais …

"Repilo as afirmações. Estou inconformado", reagiu o presidente da Anatel, Ronaldo Sardenberg, às manifestações do procurador da República na Paraíba, Duciran Farena, feitas durante o fórum da Pro Teste, e divulgadas pelo MP, que acusou o embaixador de ter feito a Anatel "retroceder 10 anos em termos de acessibilidade e transparência". Sardenberg ainda estuda quais medidas irá tomar para que o procurador se retrate, e disse que não descarta recorrer à justiça.

Farena atacou duramente a agência, por causa do informe nº 149/2008-PNCPA/PBCP (o qual o superintendente de serviços públicos anexa nos processos de cobranças de multas das concessionárias relatório questionando os valores estabelecidos), taxando o documento como "informe da vergonha". "A agência está fora de controle, imperando a regra do cada um por si e o mercado (isto é, os futuros empregos nas empresas reguladas) por todos". Sardenberg afirmou que entregou esse processo à Corregedoria da Anatel, a quem cabe apurar as responsabilidades.

Anterior Decisão da Anatel sobre faixa de 2,5 GHz depende do quinto conselheiro
Próximos Anatel prorroga consulta do PGMU por mais 21 dias