SAP investirá $ 60 milhões em novo centro de P&D no Brasil


A SAP anunciou nesta quinta-feira (19), em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), a ampliação de seu centro de pesquisa e desenvolvimento no Brasil, com investimento de R$ 60 milhões. A unidade reformada será inaugurada em dezembro no campus do Vale do Rio do Sinos (Unisinos), na cidade de São Leopoldo (RS).

A iniciativa dobrará o número de colaboradores da SAP voltados para P&D no Brasil em 2014, de 500 para cerca de 1 mil profissionais dedicados à inovação. “Estamos muito alinhados com o governo nesse momento. Também acreditamos que o fundamental não é consumir tecnologia, mas desenvolver e exportar”, afirmou Fernando Lewis, vice-presidente de operações da companhia, que participou de evento do MCTI em São Paulo, hoje.

Lewis frisou o bom momento da SAP para o Brasil, com crescimentos importantes em todas as áreas de atuação. “As pessoas acham que somos uma empresa de ERP, mas crescemos em todas as indústrias. Em óleo e gás crescemos 107%”, exemplificou o executivo, que apontou sua satisfação em ser um dos líderes da companhia neste momento em que a matriz olha o país com ótimos olhos.

Conforme explicou, uma das áreas em que a companhia pretende crescer rapidamente é em esportes e entretenimento. A divisão, anunciada em janeiro, tem grande potencial uma vez que o país será sede da Copa do Mundo da Fifa e das Olimpíadas, lembrou o vice-presidente.

Com o anúncio do centro de P&D da SAP, o governo federal alcança a meta de trazer quatro  para o Brasil como parte do programa TI Maior. O investimento de Intel, Microsoft, EMC e SAP supera R$ 700 milhões, destacou o secretário de informática do MCTI, Virgílio Almeida. O papel do governo com este fomento é mostrar para a iniciativa privada quais as linhas de investimento do governo, quais as direções dos institutos de pesquisa e como elas podem se beneficiar disso.  “Discutimos com eles as áreas que vão crescer dentro do governo”, explica Almeida. 

O ministro da Ciência Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, frisou que a pasta ainda pretende seguir com a política de incentivo para que novas empresas ampliem o aporte nessa área. Para ele, o avanço em parcerias público-privadas é fundamental para a consolidação de uma indústria de tecnologia no país e para a inovação em todos os setores da economia. “Precisamos atacar de frente a questão da iniciativa público-provada. O pontapé pode ser do governo, mas precisamos que as empresas caminhem junto para que esse conhecimento possa ser usado para competição”, declarou.

Raupp adiantou que o MCTI segue em busca de novas parcerias com a iniciativa privada. O ministério mantém diálogo com a Bull para a construção de um centro de P&D na área de computação de alto desempenho ao lado do laboratório Nacional de Computação Científica do MCTI, em Petrópolis (RJ). Ainda, foi estabelecida uma parceria com a chinesa Huawei para a construção de dois data centers (Manaus e Recife) e capacidade de processamento em parceria com a RNP. “Vamos aumentar as velocidades de transmissão de dados e começar as linhas de desenvolvimento de segurança nessa rede, para gerar novos produtos que possam ser utilizadas nas redes do país”, declarou o ministro. 

 

 

Anterior Senado aprova lei do direito de resposta
Próximos TIC ganha 13.273 vagas no Pronatec Brasil Maior