Somente em São Paulo as quatro operadoras atendem metas de banda larga


A Anatel divulgou hoje (9) os resultados da aferição de qualidade da banda larga móvel em todos os estados do país e Distrito Federal durante os meses de julho, agosto e setembro. As medições foram realizadas em prestadoras com mais de 50 mil clientes. São Paulo foi o único estado em que as operadoras móveis entregaram, em todos os meses, serviços com qualidade igual ou superior à meta definida pela Anatel. 

No Distrito Federal e no Mato Grosso, todas as operadoras atenderam às exigências em julho e setembro. Em Santa Catarina, as metas foram atendidas por todos em julho, apenas. No Paraná e no Sergipe, em agosto.

Em sete estados – Acre, Distrito Federal, Rondônia, Tocantins, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul -, os resultados de algumas prestadoras de banda larga fixa referentes ao mês de julho não foram divulgados por problemas técnicos identificados na conexão do servidor de medição localizado em Brasília.

Os resultados da banda larga móvel da Claro em quatro estados – Acre, Amapá, Santa Catarina e Sergipe – não foram divulgados devido a inconsistências no mapa de cobertura apresentado pela operadora. Essas inconsistências já estão sendo corrigidas pela prestadora e a Anatel afirma que “adotará as medidas administrativas cabíveis”.

As metas dizem respeito a dois indicadores: taxa de transmissão instantânea, que é a velocidade de upload e download apurada no momento de utilização da internet pelo usuário; e taxa de transmissão média, que representa a média das medições de velocidade instantânea apuradas durante o mês.

Diferentemente do que ocorre na banda larga fixa, para as medições da banda larga móvel não há necessidade de voluntários. Como resultado de parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), os medidores que monitoram a qualidade do serviço são instalados em escolas atendidas pelo Projeto Banda Larga nas Escolas Públicas Urbanas.

A Claro foi a operadora que mais atendeu as metas da Anatel durante o período – a única, entre as quatro maiores empresas do setor. Em setembro, a Claro entregou velocidades instantâneas acima da média em 18 estados, e em sete no indicador que mede a velocidade média. No Rio de Janeiro, a operadora obteve a melhor colocação em ambos os indicadores durante todo o trimestre, e no Rio Grande do Sul, liderou o primeiro indicador ao longo dos três meses mensurados.

A TIM e a Oi foram as operadas que mais ficaram abaixo das metas. Ao longo de setembro, a TIM entregou velocidade instantânea abaixo do exigido em 18 dos 27 locais aferidos. A velocidade média ficou aquém em 10 estados. No caso da Oi, a conexão instantânea não correspondeu à meta em 11 estados, e a velocidade média mínima não foi alcançada em 9 estados. Em agosto e julho, as empresas também dividem o resultado, mas aparecem mais performances negativas da Vivo e da Algar Telecom.

Anterior Projeto de redução de ICMS para banda larga desagrada a tucanos e a operadoras de telecom
Próximos Incertezas econômicas não afastam investimentos da Oracle, garante CEO