O governo de São Paulo credenciou quatro novos parques tecnológicos na última terça-feira, 19. Passam a constar dessa categoria o Parque Científico e Tecnológico da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o Parque Tecnológico CTI-Tec, no campus do Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer (CTI) – unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o Parque Tecnológico CPqD e o Parque Empresarial Techno Park.

Todos já operavam com uma espécie de credenciamento provisório Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec), que agora passa a ser definitivo. Com o anúnci, as entidades gestoras dos empreendimentos podem receber incentivos fiscais e realizar convênios com o estado para repasse de recursos voltados a obras de infraestrutura e aquisição de equipamentos.

As empresas que se instalarem nestes, ou outros parques tecnológicos do SPTec com credenciamento definitivo, poderão participar do programa estadual de incentivos fiscais, o Pró-Parques. Instituições de apoio e empresas de base tecnológica poderão utilizar créditos acumulados de ICMS ou diferir o imposto para pagamento de bens e mercadorias a serem utilizados na realização de investimentos e no pagamento de ICMS relativo à importação de bens destinados ao ativo imobilizado.

Agora, o estado paulista passa a ter 10 parques tecnológicos credenciados e outros dez operam na modalidade provisória. Para ser credenciado, um parque tecnológico precisa abrigar centros para pesquisa científica, desenvolvimento tecnológico, inovação e incubação, treinamento e prospecção; servir de infraestrutura para feiras, exposições e desenvolvimento mercadológico; e ser formalmente ligado a centros de excelência tecnológica, universidades ou centros de pesquisa. (Com Agência Fapesp)