Santanna confia que permanecerá na Telebrás no novo governo


O presidente da Telebrás, Rogério Santanna, disse nesta sexta-feira (3) que confia na sua permanência no cargo no próximo governo. “Afinal, a presidente Dilma conhece muito o projeto e foi ela quem abriu as portas do Palácio do Planalto para apresentação do Plano Nacional de Banda Larga”, disse. A expectativa de Santanna é de que a nova presidente, que conhece a área, será muito exigente em relação aos prazos deimplantação.

Santanna comandou a Assembleia Geral Extraordinária da estatal. Os acionistas da Telebrás aprovaram a proposta da companhia para grupamento de 1,09 trilhão de ações nominativas, sendo 896,9 bilhões de ações ordinárias e 210,2 bilhões de ações preferenciais. Pela proposta, o agrupamento se dará na proporção de 10 mil ações para uma de respectiva espécie e os valores subirão 10 vezes.

Quem tiver menos de 10 mil ações, terá suas frações convertidas em dinheiro. Para os pequenos acionistas identificados, os recursos resultantes da venda das ações serão depositados diretamente na conta. Os acionistas desconhecidos terão seus recursos depositados no banco que faz a custódia das ações, até que prove a posse das ações. A estatal fará uma ampla divulgação do programa nos meios de comunicações para evitar prejuízos.

Os objetivos do grupamento são ajustar o valor unitário de cotação das ações a um patamar mais adequado do ponto de vista mercadológico, reduzir custos operacionais para a estatal e seus acionistas, aumentar a eficiência dos sistemas de registros, controles e divulgação de informações aos acionistas e alinhar o valor por ação da companhia aos parâmetros negociados em bolsas de valores no Brasil. Mas é também o primeiro passo para que a Telebrás alcance um nível de governança corporativa mais elevado.

Os acionistas também homologaram a indicação de membros do Conselho de Administração, nomeados pelo Conselho de Administração “ad referendum” em outubro. O engenheiro em telecomunicações Caio Bonilha foi indicado para assumir a diretoria Comercial da Telebrás. A função do novo diretor será concretizar a venda de capacidade da rede de fibras ópticas da estatal para viabilizar a disseminação de conexões à internet em banda larga a preços mais baixos dos praticados atualmente no mercado. Bonilha acompanhou de perto a elaboração do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), como consultor contratado pelo governo.

Além do novo diretor, o Conselho de Administração da estatal nomeou ainda “ad referendum” três conselheiros: o advogado Marcelo de Siqueira Freitas, por indicação do Ministério do Planejamento; o economista Carlos Alberto Afonso e o engenheiro elétrico Demi Getschko, ambos indicados pelo Ministério das Comunicações. Todos com mandato até agosto de 2012 e confirmados hoje nos cargos.

Anterior Global Crossing amplia backbone para a Copa do Mundo
Próximos Minicom convoca entidades a indicar nomes para conselho da Anatel