Saída para interferência da 5G na TVRO passa por parabólicas maiores ou migração para banda Ku


O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) está a par dos resultados dos testes de interferência do sinal 5G em 3,5 GHz na TV aberta por satélite (TVRO), que usa a banda C. Realizado pelas operadoras móveis e Anatel no último ano, os testes demonstraram que há problemas de convívio entre os serviços nessas faixas. Seria preciso mais do que um filtro de radiofrequência para harmonizar os sinais.

Segundo Vitor Menezes, secretário de telecomunicações do MCTIC, a solução passa por alterar o parque de antenas parabólicas para TVRO instaladas no país – cerca de 15 milhões – por peças maiores. Quanto maior o diâmetro, mais fácil mitigar a interferência, explica.

Outra solução seria migrar os canais de TV transmitidos em banda C para a banda Ku. “O ministério só vai se posicionar após a definição técnica dentro da Anatel”, diz o secretário. Dessa definição depende o modelo do leilão de espectro que será feito em 2020 pela agência. As frequências licitadas poderão ser usadas para a implantação da 5G no Brasil.

Anterior Vivo reformula planos pós e controle
Próximos Governo terá novo programa de cidades inteligentes

1 Comment

  1. 23 de julho de 2019

    Olá, eu me pergunto não seria mais fácil fazer algo a respeito da interne te ao inves de alterar a forma de transmissão do satélite que já está bem eficaz ,ainda causa confusão para alguns; imagina como será? para mim a prioridade seria aceitar sem muita alteração.