Sai edital para 160 cidades digitais com pregão previsto para 15/10


O Ministério das Comunicações publicou hoje o edital de licitação para conexão à internet por banda larga sem fio de 160 cidades de todos os estados do país. O pregão está marcado para o dia 15 de outubro e será por meio de registro de preço, que possibilitará a adesão de outras cidades ao programa. …

O Ministério das Comunicações publicou hoje o edital de licitação para conexão à internet por banda larga sem fio de 160 cidades de todos os estados do país. O pregão está marcado para o dia 15 de outubro e será por meio de registro de preço, que possibilitará a adesão de outras cidades ao programa. O edital prevê um lote único em que a empresa ou consórcio vencedor terá a responsabilidade de fornecimento, instalação e suporte técnico dos serviços e equipamentos.

O edital estabelece também que cada estado será contemplado com a conexão à internet em pelo menos três cidades, observando o seguinte critério: a distribuição paritária de 26 cidades digitais para cada estado; a distribuição de 34 cidades digitais levando em conta a população; e a distribuição de 100 cidades considerando o número de municípios de cada estado.  Pelo quadro de distribuição, São Paulo contará com o maior número de cidades digitais, num total de 17.

Outra novidade do edital é a definição de quatro redes de conexão à internet e acordo com as características de cada município. A rede corporativa deve atender a conexão dos telecentros, escolas, centros de saúde, bibliotecas, postos de segurança pública, entre outros. A rede ponto-a-ponto tem a finalidade de cobrir, por meio do compartilhamento de um ponto Gesac (Governo Eletrônico – Serviço de Atendimento ao Cidadão), os locais onde a rede corporativa não chega.

PUBLICIDADE

A rede comunitária irá atender  as comunidades com alto índice de vulnerabilidade social, oferecendo o acesso gratuito à internet. Já a rede comunitária-corporativa terá o objetivo de mesclar as propostas das redes corporativa e comunitária.

As empresas ou consórcios poderão participar do pregão oferecendo todas as tecnologias de rede sem fio, Wi-fi, Wi-Mesh, WiMax, entre outras, desde que os equipamentos a serem utilizados estejam homologados pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

A primeira versão do projeto das cidades digitais do Minicom previa atender 20 cidades, mas funcionou apenas em cinco: Belo Horizonte (MG), Barbacena (MG), Parintins (PA), Tiradentes (MG) e Garanhus (PE). Nas duas primeiras, a rede sem fio foi implantada a partir de convênio com a Universidade Federal de Ouro Preto. As outras cidades, dependeram de doações de empresas (Intel, Cisco e Motorola, respectivamente).(Da Redação)

Anterior Parlamento Europeu aprova pacote de telecom
Próximos Parlamento Europeu: operadoras não serão policiais da internet.