RNP propõe parceria com provedores regionais para ampliar rede no interior do país


A RNP (Rede Nacional de Pesquisa) quer firmar parceria com provedores regionais para ampliar a sua rede no interior do país. Após uma experiência no Sul do país, a RNP busca parcerias para estender o anel metropolitano, que está construindo para ligar Juazeiro a Petrolina, no interior de Pernambuco. “Estamos construindo o anel óptico, com cerca de 80 km, e estamos abertos para um projeto compartilhado com os provedores regionais”, informou Eduardo Grizendi, diretor de Engenharia e Operações da RNP, em palestra realizada hoje no Encontro de Provedores Regionais, que se realiza em Recife.

O transporte entre Teresina, no Piauí, e Juazeiro, no Ceará, deverá ser feito por meio de uma parceria com a Chesf, ainda em negociação. Além do anel óptico em Juazeiro, a RNP quer estender a  rede por mais 20 quilômetros até Sobradinho, também em Pernambuco. E é nesse trecho que espera contar com a parceria de provedores regionais. No total, o projeto no Nordeste envolve mais de cem circuitos.

O objetivo da RNP, com a interiorização da sua rede, é concretizar o projeto Veredas Novas, que pretende levar 1 Gbps  a todas  as sedes de campi e 100 Mbps a todos os campi – ela interliga entre 600 e 700 campi de universidades federais, estaduais, instituições e escolas técnicas. No caso Juazeiro, a necessidade é levar 1 Gbps pois a cidade é sede da Universidade Federal do  Vale do São Francisco, além de ter institutos de pesquisa.

Segundo Eduardo Grizendi, o fortalecimento dos provedores regionais, muitos dos quais já contam com boa infraestrutura, abre  uma nova oportunidade de parceria para a RNP na iniciativa privada. Hoje, o backbone da RNP é contratado de terceiros (grandes operadoras) e parte do backhaul,nas regiões metropolitanas, é construído em parceria com instituições públicas, como empresas estaduais de TICs e Telebras. “Com mais parceiros, o preço cai”, comemora ele.

No Sul

No Sul, a RNP fez parceria com a Procergs (a companhia estadual de TIC do Rio Grande do Sul) e com o Ciasc (empresa de TIC de Santa Catarina). “Em Santa Catarina, um único provedor local está levando mais de 30 circuitos”, destacou. No Paraná o processo está em fase de licitação para a compra de circuitos, assim como em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Nordeste.

Encontro

O evento que se realiza em Recife é o quarto encontro organizado pela Bit Social para os provedores locais e regionais de acesso à internet.  Representantes de cinco estados do Norte e Nordeste participam do evento, que reuniu, no painel da manhã, além de Grizendi, André Moura Gomes, gerente de projetos da Secretaria de Telecomunicações do Minicom; Claudio Larangeira, gerente da Telebras;  Priscila Moreira, engenheira da Furukawa; e Glauco  Pereira, gerente da Padtec. O evento é realizado com o patrocínio do Sebrae, do BNDES e da Padtec; apoio da Furukawa; e apoio institucional da Abrint e da Telebras. (Da redação).

 

Anterior Anatel prorroga mandato dos integrantes do Comitê de Defesa dos Usuários
Próximos Marco Civil da Internet será debatido no Senado antes da aprovação pela Câmara