Rezende defende o WhatsApp e diz que teles devem se modernizar


O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações, João Rezende, voltou a dizer que não vê problema no WhatsApp oferecer um serviço de voz. Ele ressaltou que o aplicativo funciona realizando chamadas apenas para outro aplicativo, não substituindo, portanto, o papel do telefone de realizar chamadas a quaisquer números.

“A Anatel vai fazer uma análise técnica em relação a isso [ao receber a reclamação das operadoras]”, disse. Para ele, as empresas não devem esquecer que o app gera tráfego de dados, contribuindo para a receita. “As operadoras têm que buscar uma modernização maior nessa relação”, frisa.

Para ele, o tratamento dado às OTTs deve ser igual ao conferido às operadoras. Mas isso não significa regular ou tributar o setor digital. “O ideal seria desregulamentar os serviços tradicionais. Este é um momento importante para mudarmos a questão da concessão, principalmente de telefonia fixa, muito mais do que discutir outros temas”, analisa.

A seu ver, deve haver o quanto antes uma desregulamentação da telefonia fixa. “Temos que aproximar todos os serviços para a convergência, já pensando no mundo do protocolo IP, que é o mundo do protocolo da internet. Houve um avanço tremendo na venda de smartphones e outros produtos por causa dos serviços de aplicativos. As duas indústrias têm a ganhar com o avanço da banda larga”, conclui. Ele participou hoje, 25, do SET Expo, evento do seto de broadcast que acontece em São Paulo.

 

Anterior Brasil e Japão querem parceria para desenvolver 5G
Próximos Base de celulares em serviço recua a janeiro de 2015