Rezende, da Anatel, afirma em Londres que 3G vai passar 2G antes de leilão de 700 MHz


O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, e o presidente da Anatel, João Rezende, estão hoje em Londres para “vender” o espectro de 4G para novos investidores.Em sua apresentação, Bernardo ressaltou os números macroeconômicos da economia brasileira – o crescimento do coeficiente de GINI (que mede a desigualdade de renda de um país) e o crescimento dos investimentos em infraestrutura no Brasil.

O presidente da Anatel, João Rezende, por sua vez, ressaltou as vantagens da faixa de 700 MHz, a frequência do dividendo digital, que, segundo ele, será limpa pelo pagamento dos vencedores do leilão. E que há grandes vantagens nas regras desta licitação para os novos investidores, visto que não há obrigação de coberturas no território brasileiro.

Rezende afirmou ainda que, à época do leilão, a rede de celular brasileira já terá mais terminais de terceira geração do que de segunda geração. Conforme os últimos números divulgados pela Anatel, a 3G ainda é alcança menos da metade dos usuários brasileiros. Em maio, eram 113,39 milhões de acessos para um total de 275,4 milhões de celulares comercializados.

A Anatel está vendendo quatro blocos de frequências de 10 MHz para o uplink e 10 MHz para o downlink. Isso significa que, se alguma operadora estrangeira quiser vir para o Brasil, terá que tirar uma das quatro operadores atuais – Claro, Oi, TIM ou Vivo da disputa. (Com agências internacionais).

Anterior 3 milhões de pacientes com monitoração remota via dispositivos específicos em 2013
Próximos TIM troca terceirizados por funcionários próprios