Reino Unido faz leilão de espectro para a 5G


martelo-globo-leilao-936x600 mundo justiça

O Reino Unido iniciou nesta semana o leilão de faixas de espectro de 2,3 GHz e de 3,4 GHz. As frequências deverão ser compradas por operadoras dispostas a implantar redes móveis de quinta geração (5G). Ao menos cinco empresas já manifestaram interesse: Airspan, EE, Hutchison 3G, Telefónica UK (O2) e Vodafone.

Serão vendidos quatro lotes de 2,3 GHz e 38 de 3,4 GHz. Ao todo, 190 MHz serão leiloados, sendo 40 MHz na faixa de 2,3 GHz. A EE, empresa que mais detêm frequências no Reino Unido, poderá concorrer apenas por lotes de 3,4 GHz. À Vodafone também foram impostos limites.

O leilão funcionará de forma distinta da praticada no Brasil. As empresas concorrentes precisaram depositar antecipadamente £ 1 milhão, apenas para concorrer. Depois, são feitas rodadas a fim de valorar os lotes, cujos preços começam em £ 10 milhões para cada 10 MHz na faixa de 2,3 GHz; e de £ 5 milhões para cada 5 MHz de 3,4 GHz.

Cada empresa diz quantos MHz quer e quanto paga por eles. Havendo disputa, o regulador aumenta os preços, e novos lances são dados. As rodadas terminam quando oferta e demanda se equilibrarem.

Até o momento, a rodada principal está em andamento. As empresas já se dispuseram a pagar £ 25,9 milhões pelas faixas de 2,3 GHz (compatível com os celulares atuais). Enquanto os lances pelos lotes de 3,4 GHz somam £ 5,5 milhões. A demanda, no entanto, estaria maior pela faixa de 3,4 GHz. Há pedidos para adquirir 340 MHz a maior do que o oferecido, enquanto na outra faixa, a busca está 20 MHz além.

Depois dessa fase, vem uma de organização do espectro. Cada empresa participante vencedora na rodada anterior deverá aumentar a oferta para escolher qual lote, exatamente, pretende usar.

Anterior Apps de aluguel por temporada poderão ser tributados
Próximos MP investiga possível uso ilegal de dados dos usuários do Facebook no Brasil