Região Norte abriga oficina de inclusão digital pela primeira vez


Pela primeira vez, a Oficina para Inclusão Digital, que está em sua sétima edição e é realizada pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, será realizada na região Norte do país. O evento será feito em Belém do Pará, de 4 a 7 de novembro, e irá debater os desafios …

Pela primeira vez, a Oficina para Inclusão Digital, que está em sua sétima edição e é realizada pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, será realizada na região Norte do país. O evento será feito em Belém do Pará, de 4 a 7 de novembro, e irá debater os desafios da inclusão digital na Amazônia, a diversidade cultural e o desenvolvimento sustentável, entre outros temas.

O objetivo da oficina é aproximar pessoas que trabalham diretamente na implementação, formação e nas áreas técnicas relacionadas à inclusão digital, proporcionado um espaço de discussão e proposição de estratégias, políticas públicas e diretrizes de acesso e uso das tecnologias da informação e da comunicação (TICs). As inscrições devem ser feitas pelo portal http://oficina.inclusaodigital.gov.br.

Dificuldades

Segundo o secretário adjunto de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Rodrigo Assumpção, a inclusão digital na Amazônia enfrenta duas grandes dificuldades devido às características territoriais da região: a ausência de energia elétrica nas áreas rurais dos municípios, onde vive a maioria de seus habitantes, e as dificuldades para conectar a população à internet. Para Assumpção, também há pouca oferta de redes de fibras ópticas e de cabeamento para acesso à banda larga.

A organização da oficina, que já passou pelas cidades de Brasília, Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador, também conta com a participação da Secretaria de Estado de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia do governo do Pará, do Comitê Técnico de Inclusão Digital do governo Federal e das entidades da sociedade civil Sampa.org, RITS (Rede de Informações para o Terceiro Setor), Cidadania Digital, Coletivo Digital e Projeto Saúde & Alegria. (Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Separação empresarial aumentaria tarifa, avalia CGEE.
Próximos Alcatel-Lucent recebe proposta de venda das ações do Thales Group