Reforço à privacidade na internet entra no Marco Civil, reitera Molon.


Depois das ácidas críticas feitas à espionagem dos Estados Unidos no resto do mundo, a discussão sobre o Marco Civil da Internet deverá reforçar o quesito privacidade, de acordo com o relator do texto, deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ). Ainda que tenha sido feito pedido de urgência de votação na matéria, o parlamentar afirmou que é possível acrescentar elementos ao projeto.

“Vamos incluir no texto uma série de medidas para a privacidade ainda no Marco Civil, reforçando a proteção”, declarou em entrevista a jornalistas no Seminário Telcomp, realizado hoje, 25, em São Paulo. Ele não adiantou quais os reforços que serão acrescentados ao texto. Quanto ao papel da Anatel na segurança da rede, como ente regulador, Molon declarou que a “Agência não apareceu antes, não aparece agora, nem vai aparecer depois no Marco Civil.”

Em relação à questão da neutralidade de rede no Marco Civil, continua mantida a posição da presidente Dilma, apesar do descontentamento do setor de telecomunicações.  “Não somos nós contra o setor, mas a favor do País”, destacou.

Anterior Produtividade, o X da questão.
Próximos Dilma diz que opinião de Bernardo sobre Telefónica/TIM não é posição de governo