Recursos das teles para TV paga devem garantir empréstimos de produtores


Os recursos extras que serão arrecadados para a produção do conteúdo audiovisual nacional, conforme prevê a nova lei do Serviço de Valor Adicionado (SeAC), deverão ser usados como seguro garantidor para empréstimos dos produtores brasileiros. Esta é uma das propostas que está sendo estudada pelo Ministério da Cultura para a aplicação desse dinheiro, afirmou hoje o coordenador-geral de Políticas Audiovisuais do MinC, Bruno Maceió.

 

A estimativa do mercado é que sejam arrecadados cerca de R$ 400 milhões por ano para financiar a produção audiovisual. Estes recursos virão do setor de telecomunicações, através da taxa do Fistel (Fundo de Fiscalização), que será repassada para o Condecine.

Anterior Preços no comércio online caem 9,6% no ano
Próximos BNDES aprova crédito de R$ 1,18 bilhão para GVT