Reclamações contra serviços de telecom aumentam 3% em agosto


As reclamações contra serviços de telecomunicações na Anatel aumentaram 3,03% em agosto, na comparação com o mês anterior, com 7,4 mil registos a mais. Porém, nos últimos 12 meses, as queixas recuaram 18,8%, ou 58 mil registros a menos.

As reclamações contra serviços de telecomunicações na Anatel aumentaram 3,03% em agosto, na comparação com o mês anterior, com 7,4 mil registos a mais. Porém, nos últimos 12 meses, as queixas recuaram 18,8%, ou 58 mil registros a menos.

Segundo a Anatel, todos os principais serviços de telecomunicações apresentaram redução nos últimos 12 meses. A maior redução foi na TV por assinatura, menos 10,3 mil reclamações contra prestadoras (-24,2%), seguida pela telefonia fixa, menos 15,8 mil (-21,7%), telefonia móvel, menos 27,3 mil (-18,8%) e banda larga fixa, menos 4,6 mil (-9,7%).

Das 118,2 mil reclamações contra prestadoras de telefonia móvel recebidas pela Anatel em agosto de 2018, 84,1 mil foram referentes à modalidade pós-paga do serviço e 34,1 mil à pré-paga. As principais causas de reclamações na pós-paga foram cobrança (47,2%), ofertas e promoções (10,0%) e qualidade e funcionamento (9,7%). Já na pré-paga, as reclamações que se referiram a créditos pré-pagos (39,0%) formaram o maior volume, seguido das de ofertas e promoções (19,4%) e de qualidade e funcionamento (13,6%).

PUBLICIDADE

Em relação ao serviço de telefonia fixa, foram 57,2 mil reclamações causadas principalmente por problemas na cobrança (42,0%), na qualidade e no funcionamento (17,9%) e no cancelamento do serviço (10,1%).

No mês de agosto, a Anatel recebeu 43,2 mil reclamações contra prestadoras de banda larga fixa cujos principais motivos foram problemas na qualidade e no funcionamento (41,8%), na cobrança (26,2%) e no cancelamento do serviço (7,7%). E na TV por assinatura, as 32,1 mil reclamações foram motivadas por questões de cobrança (50,6%), de ofertas e promoções (9,6%) e de cancelamento (9,0%).

Operadoras

A agência informa que apenas a NET, na banda larga fixa, apresentou aumento de reclamações em agosto de 2018 quando comparado ao mesmo mês do ano anterior, mais 500 casos (+6,1%), a Oi teve redução de 7 mil reclamações (-34,4%) e a Vivo menos 2,8 mil (-20,1%).

No entanto, na telefonia fixa, a NET liderou a redução proporcional nos últimos 12 meses, com menos 4,1 mil reclamações (-38,5%), seguida da Oi, menos 9,3 mil (-23,5%), e da Vivo, menos 3,1 mil (-14,7%).

Na telefonia móvel, a maior redução proporcional de reclamações nos últimos 12 meses foi registrada pela Nextel, menos 5,7 mil queixas (-55,2%), seguida da Vivo, menos 10,7 mil (-32,3%), da Claro, menos 5,6 mil (-17,9), da Oi, menos 3,4 mil (-16,7%) e da TIM, menos 1,8 mil (-3,6%).

E na TV por assinatura, a maior redução proporcional de reclamações entre agosto de 2018 e agosto de 2017 foi registrada pela Oi, menos 1,1 mil (-28,9%), seguida da SKY, menos 4,2 mil (-28,5%), da NET/Claro, menos 4,4 mil reclamações (-21,8%), e da Vivo, menos 500 reclamações (-15,1%).(Com assessoria de imprensa)

Anterior Anatel admite consolidação como alternativa para a 5G
Próximos Facebook defende parceria de infraestrutura com teles e menos regulação