Reclamações contra aparelhos celulares disparam


Os aparelhos celulares foram os produtos mais reclamados em 2010. De acordo com Cadastro Nacional de Reclamações Fundamentadas, publicado pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) do Ministério da Justiça, nesta quarta-feira (27), revela que, das 68.373 reclamações registradas, 21.609 se referem a celulares. O que significa dizer que aparelho de telefone celular corresponde, sozinho, a 17,6% de todo o cadastro.

No ranking dos 30 fornecedores mais reclamados, as empresas de telecomunicações têm destaque. A Oi, em primeiro lugar, recebeu 8.328 queixas, ou 6,8% das reclamações registradas. A Claro e Embratel ficaram em terceiro lugar, com 4.381 reclamações, ou 3,5% das queixas. A TIM/Intelig ocupa a oitava posição, com 2.668 queixas, e a Vivo, a nona, recebeu 2.250 reclamações.

Fabricantes de celulares também estão entre os fornecedores mais reclamados. A LG, em quarto lugar, recebeu 3.413 queixas. A Sony Ericsson, em sexta posição, teve 3.176 reclamações, seguida da Samsung, que ficou com 3.130. A Nokia, em 11º, recebeu 2.016.

O Cadastro Nacional de Reclamações Fundamentadas consolida dados dos Procons de 22 estados e do Distrito Federal integrados ao Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec). As reclamações são consideradas fundamentadas depois de recebidas e analisadas pelo Procon em um processo administrativo. (Da redação)

Anterior Seae apoia abertura do mercado de cabo, mas sugere alterações.
Próximos Cade aprova compra da ESC 90 pela NET