Receitas mundiais de apps devem dobrar até 2020, prevê consultoria.


Shutterstock-My Life Graphic_aplicativosEstudo divulgado pela consultoria global Ovum prevê que as receitas com a venda de apps vão crescer 2,2 vezes no próximos cinco anos, passando de US$ 36 bilhões, em 2015, para US$ 79 bilhões, em 2020. Um crescimento superior ao estimado para o número de downloads,  de 1,8 vez – de 211 bilhões, em 2015, para 378 bilhões em 2020.

Segundo as estimativas da consultoria, o mercado de apps para dispositivos móveis vai crescer mais nos próximos cinco anos do que se expandiu nos últimos oito anos, desde o seu surgimento. Serão geradas receitas três vezes superiores a tudo foi produzido entre 2008 e 2015.

Downloads

“Já nos mercados maduros em relação ao uso do smartphone começa a ser notada uma queda na medida em que se aproximam da saturação. O custo de aquisição do usuário crescer, com ênfase maior na qualidade do download do que na quantidade”, diz Guillero Escofet, principal analista do time de Digital Media da consultoria e autor do estudo em questão. Já o crescimento na receita média por download tende a se reduzir nos próximos cinco anos, mesmo com a contribuição importante de novos usuários e dos mercados emergentes responsáveis pela maior fatia do bolo.

Aliás, segundo o estudo, os mercados emergentes serão responsáveis por parte revelante do crescimento tanto nas receitas de apps como no mercado de downloads. O relatório credita à China o predomínio no crescimento em downloads. No período de 2013/2020 será responsável por metade das instalações de apps em dispositivos móveis. (Assessoria de Imprensa)

Anterior Apenas 21% dos órgãos públicos federais e estaduais têm apps
Próximos Após prejuízo com smartphones, LG indica "erosão" dos preços