Receitas e tarifas das operadoras de celular caem em 2015, diz Anatel


Conforme a Anatel, a receita líquida das operadoras de celular caiu em 2015 e 2014 e ficou inferior a 2008 e 2009, descontada a inflação do período. A Arpu (conta média do usuário) também apresenta trajetória de queda, de 54% entre 2009 e 2015.

queda despenca dinheiro acoes cifrao moeda bovespa

O mercado de telefonia celular brasileiro é um dos mais competitivos do  mundo, mostra o estudo da Anatel. O relatório sobre o mercado de SMP divulgado pela agência aponta que essa competição, se é boa para o cliente, pois está reduzindo os preços dos serviços, traz também sérias consequências para as empresas, que faturaram menos em 2014 e 2015 do que nos anos de 2008 e 2009 no Brasil, se os valores fossem atualizados pela inflação.

Há também  uma queda real de 53,9% no ARPU (conta média do usuário ) do primeiro trimestre de 2009 ao segundo trimestre de 2015. Uma redução média de 3% por trimestre. “Esse fenômeno se deve ao fato de que houve um acentuado crescimento da base de usuários e um aumento pouco significativo da ROL”, avaliam os técnicos da agência.

Preço

Devido à grande variedade de preços oferecidos no mercado, o estudo da Anatel prefere lidar com o preço médio praticado, mesmo assim levando em consideração apenas a receita operacional e o tráfego de voz sainte.

Com isso, a agência constatou que há, mesmo, queda nos valores dos minutos cobrados, pois aumentaram os minutos falados. Assim, o preço do minuto médio passou de R$ 0,123 para R$ 0,117 no ano passado. A queda, avalia a agência pode ter sido provocada pela redução da taxa de interconexão (VU-M).

O estudo comparativo que faz entre os preços das operadoras refere-se ao ano de 2013, apenas.

 

 

Anterior Rafael Pistono: Novo Marco das Telecomunicações- menos imediatismo e mais visão
Próximos Société Mondiale convoca assembleia de acionistas da Oi, por conta própria