Receitas de voz terão redução de 3% em 2009, contra expansão de 6% em 2008.


As receitas geradas pelos serviços de voz sofrerão queda em 2009, conforme indica um estudo da consultoria Pyramid Research sobre as previsões de receitas globais de telecomunicações nos próximos anos. Segundo o relatório, a projeção é de que ocorra uma redução de 3% no mercado total de voz, contrapondo-se a uma expansão de 6% em …

As receitas geradas pelos serviços de voz sofrerão queda em 2009, conforme indica um estudo da consultoria Pyramid Research sobre as previsões de receitas globais de telecomunicações nos próximos anos. Segundo o relatório, a projeção é de que ocorra uma redução de 3% no mercado total de voz, contrapondo-se a uma expansão de 6% em 2008. O relatório aponta uma previsão mais animadora para o mercado de dados, tanto por telefones fixos quanto móveis: crescimento de 12% em relação a 2008, atingindo US$ 411 bilhões neste ano.

"Dados móveis serão o principal mecanismo de crescimento, com aumento de receita de 15% para US$ 223 bilhões", indica Leslie Arathoon, vice-presidente de Pesquisas da Pyramid Research e coautora do relatório. De acordo com ela, o número de contas de banda larga, incluindo as contas móveis 3G, irá mais do que dobrar até 2013, passando dos US$ 965 milhões atuais para mais de US$ 2 bilhões.

O crescimento esperado para o mercado dos serviços de telecomunicações em 2009, segundo o estudo, deve ser de apenas 1%, bem distante das taxas anuais de crescimento de anos anteriores, que giraram entre 10% e 11%. A projeção é de que este segmento movimente US$ 1,4 trilhão, contando-se com os efeitos da crise mundial.    

Porém, de acordo com a consultoria, espera-se que o mercado global das telecomunicações se recupere em 2010, motivado por uma combinação de fatores como o aumento da disponibilidade de pacotes multiplay e aparelhos versáteis, com preços competitivos, e com os mercados emergentes proporcionando um cenário mais dinâmico para a indústria, destacando-se a Índia e a China. (Da redação)

Anterior Emília quer concessão imediata de licença para TV a cabo
Próximos Nokia desiste de produzir aparelho para WiMAX