Receita de voz no celular cai 13% no primeiro tri do ano


O brasileiro está falando menos e por menos tempo ao celular. Conforme os números divulgados hoje, 19, pelo SindiTelebrasil, a receita com a voz caiu de R$ 12,9 no ano passado para R$ 11,6 redução de 13%. O tempo que o brasileiro falou ao celular também diminuiu. Era de 130 minutos por mês, caiu para 111 minutos.

Conforme os números divulgados hoje, 19, pelo SindiTelebrasil, o Arpu (conta média) da telefonia celular no primeiro trimestre do ano teve uma redução líquida de 4%, caindo de R$ 18,8 para R$ 18,4 por mês. Mas a reudação nas receitas com a voz foi bem maior, compensada pelo crescimento em dados. O Arpu de voz caiu R$ 12,9 no ano passado para R$ 11,6, redução de 13%. O MOU (tempo de minutos falados por mês) também caiu de 130 minutos para 111 ao mês.

O uso da internet no celular é o que está compensando a perda de receita das operadoras, mas não ainda na mesma proporção. As receitas com comunicação de dados cresceram 20% nos últimos 12 meses, passando de uma conta média de R$ 5,7 para R$ 6,6 por mês. Conforme a entidade, o preço médio do minuto também caiu 9%, no último ano, passando para R$ 0,15 centavos.

Mesmo com a queda na conta média de voz, a receita bruta total das operadoras de celular cresceu 4% frente ao mesmo período de 2014. Ela somou R$ 25,5 bilhões. As receitas da indústria foram de R$ 7,7 bilhões (crescimento de 10%); da telefonia fixa somaram R$ 7,8 bilhões (7% a mais); da banda larga fixa, outros R$ 7,8 bilhões (7% a mais) e da TVpor assinatura, R$ 7,7 bilhões (crescimento de 14%).

PUBLICIDADE
Anterior Nokia admite retorno ao mercado de smartphones
Próximos Procura por ações de unidade de torres de Telecom Italia foi de 875 milhões de euros