Receita com dados móveis no Brasil deve crescer 21% em 2014, projeta IDC


O mercado de tecnologia da informação e comunicações (TICs) segue aquecido no Brasil. Descolado do PIB nacional, cuja projeção de crescimento é de 2,6%, o segmento deve experimentar alta de 9,2% de receita em 2014 (US$ 175 bilhões), afirma a consultoria IDC, que apresentou suas projeções e apostas para o Brasil nesta quarta-feira (5). A notícia é boa para as operadoras: as grandes tendências para o mercado são mobilidade, nuvem, big data e social business, todas, de alguma forma, relacionadas a seus serviços. O resultado é a perspectiva de alta de 9,7%, 11,4%, 21% e 13% na receita dos serviços de dados fixos, voz móvel, dados móveis e data center, respectivamente. “Apenas para a voz fixa não vemos um futuro promissor”, afirmou João Paulo Brudel, analista de telecom da IDC.

No caso da rede de banda larga fixa, o aumento da receita se dá tanto por expansão do número de usuários, quanto por entrega de serviços de maior valor a clientes corporativos. “O fato é que os service providers vendem acessos à internet cada vez com mais serviços de configuração”, explica Brudel.

Já na parte móvel, o uso de voz móvel segue crescendo, porque é mais barato, ou porque é mais prático com agenda. Mas o serviço que mais cresce é o de pacote de dados móveis. No caso das conexões 4G, devem sair de um patamar de 1,3 milhão de acessos em 2013 para 3 milhões de acessos até o final de 2014, segundo a consultoria. Um dos motivos para isso é a explosão de vendas de smartphones e tablets em 2013. O crescimento no comércio de celulares inteligentes no ano passado foi de 120%. Para este ano, em que a base instalada é maior, a IDC espera alta de 36% no volume comercializado no mercado local.

PUBLICIDADE

 

  

Anterior Contrato de concessão: pesquisa da Embratel indica que usuário não troca ligação local por DDD mais barato
Próximos Para diretor da Telefónica, debate sobre neutralidade da rede está desfocado.