Radiodifusores não abrem mão da faixa de 700 MHz


Os radiodifusores brasileiros não irão abrir mão das frequências de 700 MHz, que acolhem hoje os canais analógicos e digitais de TV. O consultor da Abert, Evandro Guimarães, conclamou os empresários, durante a 25º Congresso Brasileiro de Radiodifusão, a defenderem essa bandeira na Conferência Nacional de Comunicações, que será realizada em dezembro. "Não podemos permitir …

Os radiodifusores brasileiros não irão abrir mão das frequências de 700 MHz, que acolhem hoje os canais analógicos e digitais de TV. O consultor da Abert, Evandro Guimarães, conclamou os empresários, durante a 25º Congresso Brasileiro de Radiodifusão, a defenderem essa bandeira na Conferência Nacional de Comunicações, que será realizada em dezembro.

"Não podemos permitir que um serviço público e gratuito perca banda para o serviço pago, como as telecomunicações", afirmou o executivo. Hoje, as emissoras de TV têm consigados dois canais de 6 MHz nessa faixa, para transmitirem os sinais analógicos e digitais, sob o compromisso de devolver um dos canais após o término da transição, prevista  para 2016.

Em todo o mundo, os governos estão direcionando as frequências devolvidas pelas emissoras de TV para os serviços de banda larga celular, movimento conhecido como "digital dividend", ou seja, dividendo digital, a ser pago pelas emissoras de radiodifusão aos demais serviços de telecomunicações. Guimarães participa do 25º Congresso Brasileiro de Radiodifusão, promovido pela Abert.

Anterior Comissão do Senado aprova tarifa local para chamadas para provedores de internet
Próximos País alcança 154,5 milhões de celulares em abril. TIM e Oi crescem.