Quatro fabricantes na short list da América Móviles


A licitação lançada pela América Móviles, controladora da Claro, para a compra de infra-estrutura de terceira geração da telefonia móvel, que contempla várias cidades da América Latina, 20 delas no Brasil, continua na fase de negociações com quatro fabricantes, que integram a short list. São eles: Ericsson, Huawei, Nokia e Alcatel-Lucent, que entrou na negociação …

A licitação lançada pela América Móviles, controladora da Claro, para a compra de infra-estrutura de terceira geração da telefonia móvel, que contempla várias cidades da América Latina, 20 delas no Brasil, continua na fase de negociações com quatro fabricantes, que integram a short list. São eles: Ericsson, Huawei, Nokia e Alcatel-Lucent, que entrou na negociação depois da compra da área de 3G da Nortel.

Segundo os envolvidos na negociação, no Brasil, a Claro vai usar a sobra de espectro que tem na faixa de 850 MHz para o serviço de terceira geração, o que lhe permite sair na frente antes mesmo do leilão das licenças de 3G na faixa de 1,9 GHz, que deve ser lançado no ano que vem.

Com o movimento da Claro, a resistência das operadoras de GSM à realização do leilão arrefeceu. A TIM, que liderava o movimento pelo adiamento do leilão, para que as operadoras tivessem mais tempo para recuperar os investimentos feitos na digitalização das redes, mudou o tom do discurso. Embora seus executivos não admitam que defendam o leilão já, não se manifestam mais contra ele. Admitem sua realização, como informou seu presidente Mario Cesar Araujo, em entrevista coletiva durante o Futurecom 2006, no início de outubro, mas querem que a Anatel faça um leilão conjunto de todas as freqüências disponíveis, inclusive as do SMP, onde entram as freqüências que eram do WLL na faixa 1,9 GHz que interessam à Vivo.

PUBLICIDADE
Anterior Embratel tem prejuízo de R$ 324,2 milhões e EBIDTA negativo em R$ 40 milhões
Próximos Receita da Embratel com serviço local cresceu 47% no terceiro trimestre