Quarta geração não tem equipamento disponível, lembra Valente.


O presidente da Telefônica, Antônio Carlos Valente, lamentou que a quarta geração da telefonia móvel (a LTE) ainda seja uma miragem, sem equipamentos disponíveis. Para a empresa, o importante é ampliar a oferta de banda larga com as tecnologias existentes.Conforme o executivo, para a faixa de 2,5 GHz a tecnologia já está disponível, faltando apenas …

O presidente da Telefônica, Antônio Carlos Valente, lamentou que a quarta geração da telefonia móvel (a LTE) ainda seja uma miragem, sem equipamentos disponíveis. Para a empresa, o importante é ampliar a oferta de banda larga com as tecnologias existentes.Conforme o executivo, para a faixa de 2,5 GHz a tecnologia já está disponível, faltando apenas a Anatel homologar os equipamentos e decidir sobre a licença do Serviço de Comunicação Multimídia (SCM). A Telefônica irá fazer os testes com o WiMAX nesta faixa pelos próximos três meses.

Valente assinalou que, em todo o mundo, as freqüências são constantemente reinventadas para abarcar as novas demandas por serviços. Tanto que, assinalou,  nos Estados Unidos e na Europa as faixas de 850 MHz e de 1,9 GHz e de 1,8 GHz estão sendo direcionadas para oferecer serviços de terceira e quarta gerações móveis. “Não dá é para esperar a produção de equipamentos de muito longo prazo”, concluiu o executivo.     


PUBLICIDADE
Anterior Ripper, da Cisco, prevê mudanças drásticas para o setor.
Próximos Para secretário, TV digital permitirá uso racional do espectro.