A Qualcomm conseguiu negociar a multa milionária que havia sofrido do regulador de competição de Taiwan em outubro de 2017. À época, a fabricante de chipsets foi condenada a pagar US$ 774 milhões por práticas anticompetitivas.

Após negociações, porém, o governo aceitou que a empresa pague, em dinheiro, apenas US$ 93 milhões, e invista US$ 700 milhões no país ao longo de cinco anos. O valor prevê aumento do investimento em pesquisa e desenvolvimento feito em Taiwan, além da liberação de patentes para uso por fabricantes locais.

A empresa tenta ainda reverter mais decisões recentes de reguladores de outros países. Na Coreia do Sul, a Qualcomm foi multada em US$ 927 milhões, também por práticas anticoncorrenciais. Na União Europeia, deve multa de US$ 1,2 bilhão. Em ambos os casos, está apelando dos processos. Nos EUA, enfrenta ainda uma disputa legal travada com a Apple. (Com agências internacionais)