Qualcomm aposta na eletrônica de consumo e vai concorrer com a Intel


A estratégia da Qualcomm para manter a liderança conquistada no mercado de chipsets passa pelo desenvolvimento de plataformas para o mercado de eletrônica de consumo. O presidente da subsidiária brasileira, Marco Aurélio Rodrigues, anunciou, hoje (28), em encontro com a imprensa, alguns dos novos desenvolvimentos, destacando o Gobi (Global Module Internet), um módulo 3G para …

A estratégia da Qualcomm para manter a liderança conquistada no mercado de chipsets passa pelo desenvolvimento de plataformas para o mercado de eletrônica de consumo. O presidente da subsidiária brasileira, Marco Aurélio Rodrigues, anunciou, hoje (28), em encontro com a imprensa, alguns dos novos desenvolvimentos, destacando o Gobi (Global Module Internet), um módulo 3G para laptops; e a plataforma Snapdragon, que vai permitir a produção de um computador para mercados emergentes. A empresa vai concorrer diretamente com a Intel neste segmento, com a vantagem de que sua plataforma tem dupla função: faz o processamento e a conexão com a rede. “Ao mesmo tempo em que está na CPU (unidade central de processamento) faz a parte de conexão”, explicou Rodrigues.

O módulo 3G da Qualcomm (Gobi) vai permitir que laptops funcionem tanto em redes baseadas na tecnologia CDMA/EVDO, usada pela Verizon nos Estados Unidos, ou numa rede WCDMA/HSDPA. “Com o Gobi, um laptop irá funcionar tanto na rede da Verizon quanto numa rede na Europa”, exemplificou. A previsão da Qualcomm é de que os primeiros produtos com essa tecnologia cheguem ao mercado no segundo trimestre de 2008. De acordo com Rodrigues, a nova tecnologia foi bem recebida pela HP e pelas operadoras Vodafone e Verizon.

Em relação a plataforma Snapdragon, Rodrigues destacou que a tecnologia traz as vantagens do celular para os computadores, com alta capacidade de processamento, conectividade 3G instantânea e permanente, e duração de 24 horas na bateria. “Estamos trazendo o mercado de consumo para dentro do mercado móvel”, comentou o presidente da Qualcomm, enfatizando que o foco da empresa é acelerar o uso da rede sem-fio.

Visão da 3G no Brasil

No mercado local, a Qualcomm está otimista com o lançamento comercial das redes da Telemig e da Claro, e com o leilão das freqüências de 3G marcado para 18 de dezembro; além do lançamento da TV digital. “Acredito que teremos, em seis meses, o reflexo da TV digital, que abrirá caminho para a TV paga no celular”, comentou Rodrigues. Esses fatos, mais a troca de aparelhos celulares (25% dos usuários da telefonia móvel trocam de aparelhos anualmente no Brasil), dão uma indicação otimista para o mercado de 3G no país, na visão do presidente da Qualcomm.

Anterior Vivo fecha parceria com Positivo para banda larga móvel
Próximos Qualcomm lidera, em receita, o mercado de chipsets para celulares.