Qualcomm acha que leilão solteiro da faixa de 450 MHz será mais eficiente


Uma das metas da Qualcomm para o Brasil, em 2012, é apoiar as medidas do governo para destinar mais espectro nas faixas de 700 MHz, 450 MHz e 2,5 GHz para a banda larga. Como desenvolvedora de chips para celulares e outros dispositivos de acesso à internet por rede sem fio, a Qualcomm tem interesse estratégico em criar mais espectro para o desenvolvimento da banda larga móvel. “A disputa entre as faixas de 2,5 GHz e 700 MHz é uma falsa disputa. Ambas são necessárias para o desenvolvimento da banda larga móvel”, diz Franciso Soares Giacomini, diretor de relações governamentais da Qualcoom.

 

Para Giacomini, a melhor estratégia seria o leilão “solteiro” da faixa de 450 MHz, ideal para o atendimento da área rural. Ele avalia, no entanto, que o leilão, para ser bem sucedido, precisa envolver contrapartidas do governo ou à operadora que for instalar a rede (benefícios fiscais, facilidades de financiamento, etc.) ou ao usuário que vive no campo (subsídio ao serviço). “Em todos os países, as comunicações no campo contam com subsídios governamentais porque o modelo de negócios não se viabiliza”, diz Giacomini. Apesar de preferir este caminho para o leilão, ele não critica a possiblidade, levantada pelo governo, de vincular a venda da faixa de 450 MHz a de 2,5 GHz, em um só leilão. “É uma outra estratégia”, afirma.

Anterior Qualcomm quer apoiar governo em legislação de propriedade intelectual mais eficiente
Próximos CCT da Câmara adia mais uma vez votação do PL de crimes na internet