Quadros quer usar modelo da TV digital para limpar a faixa de 3,5 GHz para a 5G


A Anatel está analisando a possibilidade de replicar o modelo adotado para limpar a faixa de 700 MHz, até então ocupada pela TV analógica. As operadoras de telefonia móvel que compraram o espectro para implantar redes 4G aportaram recursos para um fundo que financiou conversores de TV digital para famílias de baixa renda.

O presidente da Anatel, Juarez Quadros, disse hoje que a destinação da faixa de 3,5 GHz para a telefonia móvel 5G, em estudo na Anatel, poderá adotar o mesmo modelo da TV Digital.  “É uma possibilidade que a área técnica está avaliando”, comentou, ao participar da abertura do Encontro Tele. Síntese, que acontece hoje em Brasília. No modelo de transição da TV analógica para a TV digital, a limpeza da faixa de 700 MHz, até então ocupada pela TV analógica, foi feita com o apoio das operadoras que comparam as frequências para a telefonia móvel 4G. Eles foram obrigadas a aportar recursos em um fundo que está financiando a compra de conversores digitais para as famílias de baixa renda. O modelo foi tão bem sucedido que a migração da TV analógica para a digital vem sendo feita nas diversas regiões do país sem solavancos e a Anatel tem sido convidada a apresentar a experiência em diversos fóruns internacionais.

Segundo Quadros, um levantamento mostrou que existem 20 milhões de TVs na faixa de 3,5 MHz que usam antenas parabólicas que provocariam interferência. Teoricamente, essa interferência poderia ser anulada com a instalação de conversores. “Isso é o que está em estudo pela área técnica”, disse o presidente da agência. Se essa for uma solução técnica eficiente, o modelo da TV digital poderá vir a ser adotado no leilão das frequências da faixa de 3,5 GHz, que, de acordo com Quadros, deve entrar na agenda de 2019.

Anterior Escândalo de violação de dados do Facebook derruba bolsa de NY
Próximos Presidente da Anatel vê no leilão das sobras da 700 MHz chance para a Oi