PwC aponta queda de fusões & aquisições no setor de telecom


As transações de fusões e aquisições no setor de telecomunicações registraram queda significativa recuando aos índices verificados nos primeiros anos desta década, tanto em quantidade quanto em valores. Em valores, a redução chega a 95% nos últimos dois anos, de acordo com o relatório sobre fusões e aquisições no setor de telecomunicações elaborado pela PricewaterhouseCoopers …

As transações de fusões e aquisições no setor de telecomunicações registraram queda significativa recuando aos índices verificados nos primeiros anos desta década, tanto em quantidade quanto em valores. Em valores, a redução chega a 95% nos últimos dois anos, de acordo com o relatório sobre fusões e aquisições no setor de telecomunicações elaborado pela PricewaterhouseCoopers (Telecoms M&A Insights 2009).

A queda é especialmente significativa se comparada ao pico de cerca de 700 negócios registrado em 2006, cujos números foram impulsionados por três megatransações (a aquisição da BellSouth pela AT&T, 58 bilhões de euros, a compra dos negócios de TV a cabo da Viacom e da O2 pela Telefónica, transações de 25 bilhões de euros cada). Mesmo com a redução no valor total de negócios, em 2007 foram registradas cerca de 650 transações, incluindo a aquisição da America Telecom pela America Movil (23 bilhões de euros).

Em contraste com o cenário dos últimos dois anos, 2008 foi marcado pela ausência de grandes fusões ou aquisições. Houve apenas um negócio com valor acima de 10 bilhões de euros (a aquisição da Intelsat pela Serafina Holding). Somadas, as cinco maiores transações realizadas no ano passado superam por pouco o valor da realizada pela America Movil, em 2007. No Brasil o setor de telecomunicações foi marcado, em 2008, pela aquisição do controle acionário da Brasil Telecom pela Telemar por R$ 5 bilhões.

Custo da dívida aumenta

A falta de liquidez será um obstáculo às atividades da M&A em todos os setores em 2009 e, adicionalmente, as perspectivas para o setor de telecomunicações serão determinadas em grande parte por alguns aspectos específicos da indústria. A atividade de telecomunicação, por sua natureza, exige intenso investimento de capital e, portanto, um montante significativo de financiamento.

De acordo com o relatório, o custo de manutenção da dívida se elevou até para as empresas de grande porte e, muito provavelmente, o setor terá de reavaliar a sua capacidade de arcar com esse custo podendo considerar outras possibilidades para o funding de seus investimentos. As empresas poderão rever sua estratégia em relação a desinvestimento em operações com prejuízo ou a oferta de uma carteira de ativos de melhor qualidade aos investidores. (Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Teles apresentam na Câmara ações para aumentar cobertura na Amazônia
Próximos Oi informa ganhos com a portabilidade