PTSGPS, sócia da Oi, diz que é inviável ir para o Novo Mercado este mês, mas mantém compromisso de chegar lá.


A PTSGPS lançou comunicado ao mercado português hoje, 26 de março, em resposta às notícias veiculadas de que a empresa estaria com muitas dificuldades para ter aprovado o seu balanço pelo xerife norte-americano (a SEC), o que estaria prejudicando a concessionária brasileira Oi a ingressar no Novo Mercado. No comunicado, a empresa afirma que está tomando todas as medidas para a “efetiva adesão” pela Oi ou pela CorpCo ao novo mercado.

A PTSGPS lançou comunicado ao mercado português hoje, 26 de março,  em resposta  às notícias veiculadas de que a empresa estaria com muitas dificuldades para ter aprovado o seu balanço pelo xerife norte-americano (a SEC), o que estaria prejudicando a concessionária brasileira Oi a ingressar no Novo Mercado. No comunicado, a empresa afirma que está  tomando todas as medidas para a “efetiva adesão” pela Oi ou pela CorpCo ao novo mercado. Hoje a Oi realiza assembleia de debenturistas para aprovar a sua nova composição societária após a venda da operadora PT e a diminuição da PTSGPS em seu capital, com opção de aumento de participação nos próximos anos.

Conforme a nota, a empresa ” permanece integralmente alinhada com o cumprimento do compromisso assumido e amplamente divulgado de promover a Migração ao Novo Mercado, adotando as medidas e providências necessárias à prossecução deste objetivo, de forma eficiente e conforme o contratado”. A operadora afirma que está estudando medidas alternativas, inclusive transitórias, que permitam a migração para o Novo Mercado, atendendo aos interesses da Oi e de seus acionistas.

A empresa reforça os benefícios do Novo Mercado, entre outros, (i) a adoção de um novo modelo de governança corporativa, pautado pelos mais altos níveis de governança; (ii)
direito de voto a todos os acionistas (1 voto para cada ação detida); (iii) término de todos os acordos de acionistas existentes relativamente à CorpCo, à Oi e às suas controladas; (iv) liquidez para todos os acionistas e aumento de liquidez; (v) eliminação de acionistas controladores e da estrutura de controle (controle disperso no mercado); e ampla aceitação da medida alternativa a ser adotada pelos acionistas da Oi, tanto os detentores de ações ordinárias quanto os detentores de ações preferenciais.

A empresa assinala contudo, que não “obstante venha a mostrar-se inviável a Migração ao Novo Mercado até o próximo 31 de março próximo, a PT permanece contratualmente obrigada a envidar seus esforços para implementar reorganização visando os mesmos objetivos da Migração ao Novo Mercado”. A empresa sugere que irá encontrar uma alternativa transitória.

 

Anterior Comissário europeu critica falta de unidade para criação de mercado comum digital
Próximos Oi propõe troca de ações da TmarPart devido a atraso na migração ao Novo Mercado