Telesintese-placa-mae-cabo-de-rede-operarios

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou nesta quarta-feira, 1, o balanço de assinantes de banda larga fixa no Brasil em setembro. Ao todo, havia 28,16 milhões de acessos a banda larga fixa no país no mês. O número é 5,92% maior que um ano antes, e 04% maior que em agosto.

 

Operadora Setembro de 2016 Agosto de 2017 Setembro de 2017 Evolução mensal Variação mensal (%) Evolução anual Variação anual (%)
ALGAR (CTBC TELECOM) 490.307 531.470 531.464 -6 0,00% 41.157 8,39%
BT 32.850 23.491 23.446 -45 -0,19% -9.404 -28,63%
CABO 96.588 107.592 108.994 1.402 1,30% 12.406 12,84%
CLARO BRASIL 8.396.850 8.711.912 8.763.821 51.909 0,60% 366.971 4,37%
OI 6.400.625 6.386.326 6.374.138 -12.188 -0,19% -26.487 -0,41%
Outras 2.787.325 3.745.762 3.803.930 58.168 1,55% 1.016.605 36,47%
PREFEITURA DE LONDRINA COPEL 166.961 182.184 190.995 8.811 4,84% 24.034 14,39%
SKY/AT&T 306.705 365.688 365.126 -562 -0,15% 58.421 19,05%
TELECOM ITALIA 317.070 388.340 395.179 6.839 1,76% 78.109 24,63%
TELEFÔNICA 7.488.398 7.611.849 7.610.764 -1.085 -0,01% 122.366 1,63%
Total Geral 26.592.390 28.054.617 28.167.860 113.243 0,40% 1.575.470 5,92%
Fonte: Anatel

 

Praticamente todas as operadoras ganharam clientes. Duas empresas sofreram mais: BT e Oi, em função dos desligamentos de acessos corporativos. A BT viu sua base encolher 28,63% em um ano, enquanto a Oi teve retração de 0,41%. Com base maior, a Oi teve 26,4 mil desconexões, enquanto a BT, 9,4 mil.

Os provedores regionais de acesso continuam a ser aqueles que mais acrescentam clientes à banda larga brasileira. No último ano, adicionaram 1 milhão de acessos, cerca de dois terços do total de novos assinantes. Colocados na categoria “Outros” pela Anatel, os provedores regionais cresceram 36,47% em 12 meses.

Em termos relativos, a TIM foi a grande operadora que mais cresceu. Sua base de assinantes de banda larga aumentou 25,63% no último ano. Em seguida veio a Sky, com evolução de 19%. Em termos absolutos, no entanto, ninguém superou a Claro, que adicionou 367 mil clientes. A base da Vivo aumentou em 122,3 mil assinantes.

Na comparação mês a mês, a situação é semelhantes. Os provedores regionais de acesso à internet ficaram com a maior fatia dos novos assinantes. Em seguida vieram a Claro, a TIM e a Copel. Oi e Telefônica foram as que mais desligaram clientes.

Market Share

A final de setembro, o mercado brasileiro tinha a Claro na liderança dos acessos de banda larga fixa, com 31,11% de market share. Em segundo lugar ficou a TeleFônica, com 27%. Em terceiro, veio a Oi, com 22,63%. E em quarto, os provedores regionais, com 13,5%.  Algar (1,89%), TIM (1,4%) e Sky (1,3%) tinham menos de 2%.

O mercado brasileiro continua extremamente concentrado no Sudeste, onde estão 57,84% dos acessos à banda larga fixa. O Sul tem 17,9% do total, o Nordeste 12,18%, o Centro-Oeste, 8,42%, e o Norte, 3,65%.

Tecnologia

A fibra óptica segue como a tecnologia que mais cresce no país, embora ainda esteja longe de ser a mais usada. Em um ano, foram adicionados 1 milhão de novos assinantes FTTx, um aumento de 63,31%. Ainda assim, essa tecnologia correspondia a apenas 2% de todos os pontos de banda larga em uso no Brasil – ou, 568,9 mil acessos.

A tecnologia campeã, em uso, continua a ser a xDSL, que permite a conexão pelo par de cobre do telefone fixo tradicional. Esta modalidade encolheu, perdeu 146 mil assinantes no último ano, mas tem 47% do mercado (13,2 milhões de usuários).

A conexão banda larga por cabo coaxial, usada principalmente pela NET, tinha 31,2% do mercado, ou 8,8 milhões de assinaturas, ao final de setembro. Um crescimento de 242,5 mil novos clientes ano-a-ano.

Começam a aparecer nas estatísticas da Anatel duas tecnologias para a banda larga fixa, baseadas em telefonia móvel. A LTE já representa 1,3% das conexões, com 365 mil acessos. E a FWA, sigla em inglês para Fixed Wireless Access, tem 0,38% do mercado, ou 107,8 mil acessos.