Prorrogado o fim dos celulares analógicos


O fim dos celulares com tecnologia analógica, previsto para hoje, será prorrogado até que seja concluído o processo de consulta pública sobre condições de uso de radiofreqüências nas faixas de 800, 900, 1.800, 1.900 e 2.100 MHz, iniciado dia 19 de junho, ou em nova data que venha a ser estabelecida pela agência. O ato …

O fim dos celulares com tecnologia analógica, previsto para hoje, será prorrogado até que seja concluído o processo de consulta pública sobre condições de uso de radiofreqüências nas faixas de 800, 900, 1.800, 1.900 e 2.100 MHz, iniciado dia 19 de junho, ou em nova data que venha a ser estabelecida pela agência. O ato foi publicado na edição de hoje do Diário Oficial da União.

A previsão inicial era de que fossem prorrogados os sistemas analógicos nas faixas utilizadas pelas telefonias celular e fixa em áreas remotas e de baixa densidade populacional (popularmente conhecidos como Ruralcel/Ruralvan). A proposta prevê a prorrogação, por 12 meses, do uso dos sistemas analógicos apenas para o suporte a telefonia fixa.

No ato publicado hoje, assinado pelo superintendente de Serviços Privados, Jarbas Valente, foi considerada a dificuldade de comunicação que enfrentam os usuários residentes em áreas fora da cobertura e em áreas rurais, ainda não cobertas satisfatoriamente com tecnologias de acesso digitais. Além da existência de usuários com estações móveis duais que necessitam, quando em deslocamento em áreas geográficas específicas, utilizar-se da tecnologia analógica.

Atualmente, existem em torno de 11 mil aparelhos em todo o país. Com o fim dos analógicos, as operadoras são obrigadas a trocar o aparelho antigo por um digital, gratuitamente.

Anterior Diárias e passagens de servidores da Anatel são suspensas pelo TCU
Próximos Greve das agências reguladoras: sindicato ainda elabora balanço