PromonLogicalis aposta na telepresença para crescer em comunicações unificadas


Com receitas de US$ 400 milhões, no ano passado, na América Latina, a PromonLogicalis trabalha para expandir suas atividades na região e uma de suas apostas são os serviços de comunicações unificadas. Para isso, a companhia está apostando nos equipamentos de telepresença e no interesse crescente de grandes corporações nos países da região. "Não só …

Com receitas de US$ 400 milhões, no ano passado, na América Latina, a PromonLogicalis trabalha para expandir suas atividades na região e uma de suas apostas são os serviços de comunicações unificadas. Para isso, a companhia está apostando nos equipamentos de telepresença e no interesse crescente de grandes corporações nos países da região. "Não só o Brasil mas os demais países da América Latina estão na agenda dos executivos de grandes multinacionais, que querem expandir seus negócios na região", diz Carlos Pingarilho, diretor de tecnologia da PromonLogicalis. Nesse cenário, acrescenta, a empresa quer ocupar um lugar como integradora de soluções de comunicações unificadas.

A companhia instalou salas de telepresença em suas unidades de São Paulo, Argentina, Londres e nos Estados Unidos, a partir das quais quer mostrar para o setor corporativo as vantagens de se investir na tecnologia para realizar reuniões, ao invés de deslocar seus executivos em viagens nacionais ou internacionais. No Brasil, uma limitação ao negócio é a conexão, uma vez que o serviço exige banda real de 5,7 Mega, do início ao fim da conferência, e os custos para a contratação do link ainda são altos. Fora isso, informa Guilherme Tuche, responsável pela área de comunicações unificadas da empresa, o custo de montagem de uma sala não é alto (em torno de R$ 100 mil entre mobiliário, adequação da sala e equipamento) e o retorno do investimento é obtido em dois anos.

A PromonLogicalis trabalha com equipamentos da Cisco, que adquiriu, no final do ano passado, a fabricante de equipamentos de videoconferência Tamdberg. Para realizar hoje uma demonstração do serviço de telepresença para jornalistas, a empresa fez uma conferência com a unidade da Argentina, usando conexão 100% IP, contratada da Global Crossing.

Nos Estados Unidos, a Cisco instalou lojas de telepresença para divulgar a tecnologia. Segundo a Cisco, existem globalmente 1.500 unidades vendidas e 662 salas de telepresença instaladas. O produto é focado em grandes empresas, especialmente as do setor financeiro.

Anterior Facebook passa Google nos EUA
Próximos TVs públicas europeias querem novas regras de copyright para a internet