Promon mira a internacionalização via parceria com Cisco


Apoiada na consolidação de sua parceria, no mercado brasileiro, com a norte-americana Cisco, a Promon Tecnologia, uma das empresas do grupo nacional Promon, busca espaço em outros mercados latino-americanos. No momento, está negociando, com empresas integradoras da Argentina, México e Chile, parcerias para trabalhos conjuntos ou mesmo aquisições. Na avaliação de Luiz Erneto Gemignani, presidente …

Apoiada na consolidação de sua parceria, no mercado brasileiro, com a norte-americana Cisco, a Promon Tecnologia, uma das empresas do grupo nacional Promon, busca espaço em outros mercados latino-americanos. No momento, está negociando, com empresas integradoras da Argentina, México e Chile, parcerias para trabalhos conjuntos ou mesmo aquisições. Na avaliação de Luiz Erneto Gemignani, presidente do grupo Promon, esse é um caminho que facilita o projeto de internacionalização da empresa, que deve render seus primeiros frutos ao longo de 2007.  No Brasil, a Promon é o principal canal de vendas da Cisco, em projetos integrados, para o mercado de operadoras de telecomunicações.

O esforço de internacionalização da Promon Tecnologia, desenhado em 2005, ganhou força a partir do ano passado e tem, como alavanca, a necessidade de diversificação dos mercados da empresa. Que, no Brasil, enfrenta um período de recuperação do faturamento, depois de um  forte encolhimento em função das conseqüências da privatização do setor.

Segundo Gemignani, o grupo cresceu 20% em 2006, graças tanto aos negócios no setor de telecom, que responde por 40% do faturamento total, que deve superar os R$ 600 milhões, quanto aos da área da Promon Engenharia. “Nos beneficiamos do fato de atuarmos em setores que estão crescendo como mineração e óleo e gás”, diz o presidente do grupo que espera repetir, em 2007, a mesma taxa de crescimento. O balanço ainda não está fechado, mas o grupo deve registrar lucro de 4,5% sobre o faturamento.

Anterior Reestatização na Venezuela: ações da CANTV passam por revisão.
Próximos Trópico faz testes na Argentina e Colômbia