Promon Logicalis quer crescer no mercado corporativo


Para ampliar sua carteira de clientes corporativos, segmento que já responde por 40% de suas receitas, a integradora Promon Logicalis montou em sua sede, em São Paulo, um show room para mostrar ao mercado as soluções que pode oferecer às empresas nas áreas de colaboração, segurança, datacenter e computação em nuvem com virtualização. O foco da estratégia para crescer no mercado corporativo são as mil maiores empresas do país.

Com essa iniciativa, a Promon Logicalis quer se apresentar ao mercado como uma integradora capaz de oferecer soluções para empresas de diferentes portes e diferentes áreas de atuação. Ou seja, quer mudar a imagem de que trabalha apenas com grandes empresas e com preços de “butique”, disse seu presidente, Luís Eduardo Sim Cardoso, ao apresentar o centro de inovação à imprensa, hoje pela manhã. O centro foi montado em parceria com a Cisco e apoio de empresas como McAfee, RSA e NetApp.

Maior competitividade

O desenho da nova estratégia é consequência, segundo Cardoso, de um processo vivido pela empresa nos últimos anos, que lhe permitiu chegar a preços muito competitivos. “ Hoje, temos tido uma taxa de conversação nas licitações e tomadas de preço de que participamos superior a 50%, quando o mercado considera aceitável entre 20 e 30%”, explica ele.

Com faturamento na América Latina de US$ 400 milhões no último exercício encerrado em fevereiro, 70% dos quais provenientes do Brasil, a Promon Logicalis espera crescer 30% neste ano. Principalmente no mercado corporativo, onde está jogando duas fichas. Hoje, tem maior presença nos segmentos financeiro e de óleo e gás, mas Cardoso diz que está a empresa preparada para atender a todo tipo de demanda. “O importante é se aprofundar em cada mercado vertical para entendê-lo e lhe oferecer a tecnologia adequada, pois uma solução que é boa para um banco  pode não ser a ideal para uma construtora, por xemplo”, explicou.

Anterior Dedini S/A investe na comunicação remota com a Centric System
Próximos Desempenho da GVT no trimestre supera expectativas