Produtividade também vai valer para as tarifas de longa distância


As concessionárias de telefonia fixa já receberam da Anatel o comunicado sobre como devem proceder para calcular o reajuste das tarifas de ligações de longa distância nacional e internacional. Elas terão que adotar o mesmo fator de produtividade implementado para a telefonia local. Mas a correção dessas tarifas só deverá ocorrer no final deste mês …

As concessionárias de telefonia fixa já receberam da Anatel o comunicado sobre como devem proceder para calcular o reajuste das tarifas de ligações de longa distância nacional e internacional. Elas terão que adotar o mesmo fator de produtividade implementado para a telefonia local.

Mas a correção dessas tarifas só deverá ocorrer no final deste mês ou em agosto, porque as concessionárias terão, agora, que encaminhar o pleito de reajuste à Anatel. Algumas tarifas deverão subir um pouco e outras irão cair, já que, conforme os contratos de concessão, as empresas podem utilizar, também na longa distância, o fator de excursão de 5%, que permite fazer com que um item da cesta tarifária suba acima da inflação enquanto o outro item da cesta caia na mesma proporção, para que tudo fique conforme o indicador inflacionário. Como as empresas não puderam usar esse fator nas tarifas locais, deverão usá-lo nas de longa distância.

No caso das tarifas de longa distância nacionais, o fator de excursão pode ser usado nos quatro tipos diferentes de tarifas (cobradas conforme a distância da ligação). A Anatel acredita, no entanto, que as empresas evitarão usar esse sobrepreço, já que o mercado de longa distância é um dos mais competitivos no país.

Assim, a produtividade a ser adotada também para as tarifas de longa distância é a seguinte:
Telemar:  0,01305
Telefônica: 0,00975
Brasil Telecom: 0,01086
CTBC Telecom: 0,01035
Sercomtel: 0,00975

Anterior LG lança MP3 player com transmissão móvel
Próximos FBI pede poder para "grampear" a internet