Primeira rede comercial 5G iniciará operação em 2018, diz Ericsson


shutterstock_Grey Carnation_Tecnologia_Tendencia_Telefonia_Movel_5GA Ericsson anunciou nesta sexta-feira, 21, um acordo com a operadora escandinava Teliasonera. Pelo acordo, a fornecedora implantará a rede 5G para a tele, que iniciará ofertas comercias na nova tecnologia já em 2018. Até lá, ambas as empresas vão testar e criar casos de uso e modelos de negócios em internet das coisas e oferta de serviços inovadores.

As primeiras redes devem ser montadas em Estocolmo, capital da Suécia, e Tallin, capital da Estônia. As companhias não divulgaram valores do negócio.

Segundo as empresas, as novas redes serão usadas, inicialmente, para e-health – com acompanhamento em tempo real de pacientes e tratamentos remotos, carros conectados, além de ter maior capacidade, cobertura, e consumir menos energia. A Ericsson calcula que, em 2021, o mundo terá 150 milhões de acessos 5G.

Europeus e asiáticos estão disputando a maternidade do conjunto de tecnologias que vai suportar a quinta geração de redes. Recentemente, o comissário europeu para o mercado digital cobrou celeridade das empresas do bloco, enquanto na Ásia não param de surgir centros de pesquisa. Ali, o governo da Coreia do Sul quer ser o primeiro do mundo a construir uma rede funcional para as Olimpíadas de Inverno de 2018.

TV
A fornecedora lançou ontem, 21, um kit de ferramentas de análise de dados para empresas de mídia. As ferramentas fazem a análise de big data e se integra a outros produtos da fornecedora. Batizado de 
Integrated Video Insights, o kit processa dados operacionais, comerciais e de atendimento ao cliente. O Integrated Video Insights pode ser entregue como uma solução independente ou como um módulo de expansão da suíte Ericsson Expert Analytics. 

A companhia sueca vem aumentando os investimentos em vídeo, de olho no aumento do tráfego desse tipo de dado e no crescimento da oferta de conteúdo audiovisual no mundo. Na última segunda-feira, 18, a empresa anunciou a intenção de adquirir a FYI Television, empresa norte-americana especializada em processar metadata sobre programação televisiva. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Telefonia fixa continua a perder usuários em novembro
Próximos Emprego na indústria eletroeletrônica volta a patamar de 2007