Prévia da Telemar: receita deve cair


A perspectiva do mercado é de decréscimo da receita no primeiro trimestre da Telemar. O balanço da empresa sai no próximo dia 27 de abril.  Segundo o Banco Brascan, a queda ocorrerá em virtude de uma relativa estabilidade na planta de telefonia fixa, manutenção das tarifas praticadas e a tendência de redução de tráfego no …

A perspectiva do mercado é de decréscimo da receita no primeiro trimestre da Telemar. O balanço da empresa sai no próximo dia 27 de abril.  Segundo o Banco Brascan, a queda ocorrerá em virtude de uma relativa estabilidade na planta de telefonia fixa, manutenção das tarifas praticadas e a tendência de redução de tráfego no primeiro trimestre dado o menor número de dias úteis neste período, com a incidência de datas festivas.

Também contribuirá para este cenário a redução na TU-RL (Tarifa de Uso de Rede Local) em aproximadamente 24% a partir do primeiro trimestre de 2006, comprometendo a receita de uso de rede da empresa, tendo totalizado aproximadamente 4,5% da receita bruta total da Telemar no ano de 2005.

“Desta forma, estimamos uma redução de 5,6% na receita líquida da companhia frente ao quarto trimestre de 2005, perfazendo um faturamento livre de impostos estimado para o 1º trimestre de 2006 de R$ 4,138 bilhões”, prevê Felipe Cunha, analista do Brascan, em relatório.

Entre os principais pontos da receita, segundo o Brascan, deverá ocorrer evolução principalmente na receita de dados, especialmente no nicho de banda larga (ADSL). Este nicho deverá apresentar um incremento de receita de praticamente 5% no trimestre, favorecida por 845 mil acessos ADSL.

Para a telefonia celular, a empresa Oi, encerrou o trimestre com um total de 11.221 mil terminais móveis, tendo permitido inclusive o aumento de seu market share no período e  disputado a liderança das adições líquidas no período com Tim e Claro.

Rentabilidade operacional
O Brascan estima uma redução na margem EBITDA da companhia neste trimestre devido, principalmente, a crescente participação do tráfego fixo-móvel e também principalmente pela cobrança de royalties às operadoras, a ser pago em parcela bi-anual relativa a 2% da receita líquida do STFC. “Considerando o regime contábil de competência, a companhia deverá provisionar 1% ao ano, pressionando as margens”, analisa Cunha.

“Não acreditamos, também, na possibilidade de aumento considerável na margem da operadora de telefonia celular (Oi), pois as substanciais adições líquidas no período (878 mil) podem estar calcadas na relativa estabilidade do custo de aquisição de cliente verificado no quarto trimestre de 2005, reportando portanto margem EBITDA em torno de 15% para estes três meses iniciais do ano”, diz o relatório.

Deverá ser registrado um baixíssimo impacto positivo no custo de interconexão advindo da redução da TU-RL, pois a maior parte do mesmo dentro da empresa refere-se à VU-M.

A Telemar deverá reportar, segundo o Brascan,  um lucro líquido de R$ 186 milhões no primeiro trimestre de 2006.  “Os próprios resultados operacionais inferiores neste trimestre e a ausência de créditos de impostos como ocorrido no trimestre anterior fundamentam esta estimativa”, justifica o Banco.  (Da Redação)

Anterior Qualcomm: mais um trimestre recorde.
Próximos Medidata cresce no primeiro tri