Presidente da Telebrás nega ter fato concreto que indique a reativação da empresa


O presidente da Telebrás, Jorge da Motta Silva, divulgou comunicado na sexta-feira alertando que a reativação de Telebrás para operar serviço de banda larga no País, apesar de constantes notícias publicadas nos jornais, disse que desconhece a existência de projetos dessa natureza, até porque, não é formulador de políticas públicas de telecomunicações e, consequentemente, só …

O presidente da Telebrás, Jorge da Motta Silva, divulgou comunicado na sexta-feira alertando que a reativação de Telebrás para operar serviço de banda larga no País, apesar de constantes notícias publicadas nos jornais, disse que desconhece a existência de projetos dessa natureza, até porque, não é formulador de políticas públicas de telecomunicações e, consequentemente, só pode atuar junto ao mercado levando informações com base em fatos concretos, o que não vem ocorrendo. Ele afirma que não pode conter essas declarações, atribuídas a autoridades do próprio governo, e que elas têm gerado atípicas movimentações na Bolsa de Valores (Bovespa), caracterizando clara especulação com os papeis da empresa.

No comunicado, dirigido especialmente aos acionistas minoritários, ele lembra que a companhia é controlada pela União, “e considerando que, hoje, o acesso à banda larga, pelos seus custos e dificuldades operacionais para assistir às populações menos favorecidas, que vivem em regiões distantes dos grandes centros urbanos brasileirosassou a ser um grande desafio político, técnico, econômico e jurídico a ser superado”.

Motta ressalva que, caso haja motivação ou fato concreto que justifique, imediatamente procederá à imprescindível diligência e publicará, pelos meios legais, o necessário fato relevante, “que é o ato competente para informar ao mercado, com transparência e respeito, qualquer evolução, seja positiva ou negativa, com relação ao futuro da empresa, dentro das regras específicas que regem as relações com investidores”.

O presidente da Telebrás, que esteve hoje com o ministro das Comunicações, Hélio Costa, ainda afirma, no comunicado, que a empresa é uma sociedade de economia mista, criada por lei, com personalidade jurídica de direito privado, com o objetivo de exploração de atividade econômica, cujas ações com direito a voto pertencem majoritariamente ao poder público.

A reativação da Telebrás é defendida por setores do governo nos debates sobre o Plano Nacional de Banda Larga, que o presidente da República pretende lançar ainda este ano. O secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, acredita que a estatal reúne todas as condições para gerir a rede pública de banda larga, que reunirá as fibras ópticas do sistema elétrico brasileiro.

Anterior TIM lança aplicativo para acesso a e-mails no celular
Próximos Etapas estaduais da Confecom começam nesta sexta (23)