Presidente da Furukawa diz que PLC 79 não vai gerar concorrência desleal


Foad Shaikhzadeh, líder da multinacional na América Latina, comenta que haverá “nichos de mercado” tanto para as grandes operadoras de telecomunicações quanto para pequenos provedores regionais, como ocorre na Espanha.

Foad Shaikhzadeh, presidente da fabricante de fibra óptica Furukawa para a América Latina: espaço para todos / Foto: Divulgação

A sanção presidencial ao PLC 79, que muda o marco legal das telecomunicações, vai gerar novas oportunidades de negócios no setor, ao invés de criar uma concorrência desleal a favor das grandes operações contra os provedores regionais de internet (ISPs). Essa é a avaliação do presidente da Furukawa para a América Latina, Foad Shaikhzadeh, a respeito do temor de entidades de pequenos provedores que a nova legislação vai carrear vultosos investimentos das operadoras em áreas já atendidas pelo segmento de menor porte.

“Acho que tem que olhar isso de forma bem construtiva. A  maior operadora da Península Ibérica, que por coincidência está aqui no Brasil, tem no país de origem dela 800 provedores de internet até o dia de hoje”, afirmou o executivo.

Ele participa do evento realizado pela Furukawa em Atibaia* (SP) com vários parceiros empresariais, inclusive entidades de pequenos provedores que temem o avanço das grandes operadoras em seus territórios.

A seu ver, os provedores têm seu mercado e existe espaço para todos. “Os ISPs continuam operando [na Espanha] porque atendem nichos de mercado que as grandes operadoras não vão estar presentes”, diz.

* Jornalista viajou a convite da Furukawa

Anterior Com novo Onix, GM amplia linha de carros com WiFi nativo
Próximos Decreto com estrutura da ANPD pode sair ainda em setembro

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *