Presidente da Anatel vê no leilão das sobras da 700 MHz chance para a Oi


Segundo Juarez Quadros, como a Oi está conseguindo cumprir as etapas de seu processo de recuperação judicial, ela poderá ter chance de participar do leilão das sobras da faixa de 700 MHz, que deverá ocorrer neste ano.

shutterstock_Natali Glado_abstrata_radiodifusao_geral_frequenciaEntre junho e julho, a Anatel deverá colocar em consulta pública o edital do leilão dos 20 MHz (10+10 MHz) da faixa dos 700 MHz. Para Juarez !Quadros, presidente da Anatel, esta poderá ser uma oportunidade para a Oi, que conta só com 100 MHz enquanto suas concorrentes têm 160 MHz e 170 Mhz de espectro. Isso porque, por falta de fôlego financeiro, não participou do leilão da 700 para 4G.  “Como o calendário da recuperação judicial está indo bem, as etapas estão sendo cumpridas, pode ser que apareça um investidor para ela participar do leilão”, comentou Quadros, durante o debate sobre espectro no Encontro Tele.Síntese, realizado pela Momento Editorial em Brasília.

Se em outras ocasiões chegou a comentar que um novo leilào poderia atrair novo player, desta vez Quadros disse não acreditar que isso venha a ocorrer. “Não passa pela minha cabeça um sexto competidor. O mercado de telefônica móvel também não pode operar com menos de três. Esse é o mínimo. Ou quatro”.

Em sua apresentação, lembrou que já destinou 630 MHz para o SMP, o maior volume de espectro alocado para a telefonia móvel na América Latina. Mesmo assim, ele acha que é necessária ampliar esse número e, por isso, disse da importância de ampliar o limite de frequência por empresa, alteração que faz parte de regulamento em debate na Anatel. Ele lembrou que haverá dois limite. Um até a faixa de 1 GHz e outro entre 1 GHz e 3,5 GHz.

Anterior Quadros quer usar modelo da TV digital para limpar a faixa de 3,5 GHz para a 5G
Próximos Brasil tem 40,55 milhões linhas fixas em operação no mês de fevereiro