Presidente da Anatel afirma: cautelar que garante internet ilimitada não será modificada


O presidente da Anatel, Juarez Quadros, afirmou agora ao portal Tele.Síntese que o ministro Gilberto Kassab reconheceu que interpretou equivocadamente os dados da consulta que foi lançada pela agência sobre a internet fixa, em entrevista ao portal Poder 360 de ontem, quando afirmou que a internet ilimitada iria acabar no segundo semestre. Quadros assegura que a cautelar da Anatel, proibindo que as empresas façam qualquer corte na internet após a franquia, continua valendo, e que a agência não pretende mudar isso tão cedo.

Foto: Felipe Canova Gonçalves

O presidente da Anatel, Juarez Quadros, afirmou agora ao portal Tele.Síntese que o ministro Gilberto Kassab reconheceu que interpretou equivocadamente os dados da consulta que foi lançada pela agência sobre a internet fixa, em entrevista ao portal Poder 360 de ontem, quando afirmou que a internet ilimitada iria acabar no segundo semestre. Quadros assegura que a cautelar da Anatel, proibindo que as empresas façam qualquer corte na internet após a franquia, continua valendo, e que a agência não pretende mudar isso tão cedo.

“Repito o que já disse em audiência no Senado Federal: A Anatel não pretende modificar essa cautelar tão cedo”, afirmou Quadros.

PUBLICIDADE

Conforme o presidente da Anatel, o questionário formulado sobre a questão e cuja consulta pública foi prorrogada até abril, devido ao grande interesse da sociedade, pretende levantar as principais hipóteses sobre o tema. Depois da consulta, a agência pretende ainda realizar um seminário com a participação das diferentes correntes de opinião e pensamento  do país.

Conforme o levantamento da Anatel, a consulta já recebeu mais de 13 mil contribuições e a maioria delas trata justamente sobre a questão da franquia de dados na internet fixa, e por isso, a agência decidiu prorrogar para até o dia 30 de abril o prazo para o recebimento das sugestões da sociedade.

Anterior Grupo Host opera rede óptica em rodovias paulistas
Próximos Holanda decide até fim do mês se aceita falência de subsidiárias locais da Oi